Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

IPOR aposta na formação de professores
Quarta, 12/02/2014

O Instituto Português do Oriente (IPOR) vai apresentar, esta semana, um plano de formação contínua para professores. A Direcção dos Serviços de Educação e Juventude é uma das entidades chamadas a apreciar a proposta, revelou o director do IPOR, João Laurentino Neves.

 

“Temos um plano de formação que vamos submeter, ainda esta semana, às entidades competentes e que envolve a presença de docentes de várias instituições universitárias portuguesas e macaenses”, explicou o responsável, à margem de uma cerimónia de entrega de prémios aos melhores alunos da instituição.

 

Há “algumas perspectivas” de “desenvolver trabalho com alguns docentes da Universidade de Macau”, referiu João Laurentino Neves. “Virão prestar a sua colaboração na formação de docentes. Estamos também disponíveis para colaborar em formações noutras instituições”, acrescentou o director do IPOR, avançando não só o caso do Instituto Politécnico de Macau, como também da própria Universidade de Macau. 

 

As formações podem abranger professores de português do continente, adiantou João Laurentino Neves, que anunciou que o IPOR vai reforçar o quadro de docentes. Além disto, pretende alargar a oferta curricular, ao abrigo do Programa de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento Contínuo (PDAC).

 

“Estamos a pensar em alargar essa formação a outras áreas técnicas mais concretas, como cursos intensivos no âmbito do PDAC, mas virados para a área jurídica e a outras, que vamos ver”, indicou.

 

Em 2013, 90 pessoas aprenderam português no IPOR, no âmbito do Programa de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento Contínuo. Mas João Laurentino Neves quer ver mais alunos nas salas, para dar continuidade ao aumento registado no último ano.

 

“Fechámos 2013 com um número que é verdadeiramente satisfatório para nós. Fizemos cerca de 1600 horas de formação externa”, realçou o director do IPOR, que no curso geral de língua portuguesa – dividido em três níveis – está a dar formação a cerca de 1500 alunos.