Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 10/02/2014

A lei do erro médico e o atropelamento mortal ocorrido ontem estão presentes em muitos dos jornais que se publicam hoje em Macau. A imprensa de Hong Kong olha com atenção para as possíveis alterações à política de benefícios fiscais para os residentes da região.

 

O Va Kio puxa para manchete as garantias deixadas por Alex Vong: o presidente substituto do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais diz que as galinhas vivas importadas por Macau durante o Ano Novo Chinês não têm quaisquer problemas, pelo que os residentes não precisam de ter receio. Em destaque também o atropelamento mortal de uma octogenária por um autocarro da TCM – a polícia anda à procura de testemunhas.

 

O acidente com o autocarro está em foco no Ou Mun. O jornal explica que o atropelamento aconteceu na Avenida do Conselheiro Ferreira de Almeida. A vítima mortal tinha 87 anos. Espaço ainda para a descida de temperatura: os termómetros hoje devem chegar aos 8 ºC, o que leva as autoridades a pedirem aos idosos cuidados reforçados com a hipotermia. Noutra notícia, os Serviços para os Assuntos de Tráfego estão a ponderar lançar novas matrículas, ao acrescentarem mais uma letra às actuais duas.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a dar voz a dois deputados, que apresentaram outras tantas interpelações escritas ao Governo. Ng Kuok Cheong quer saber dos planos para inovar a concessão de serviços públicos, como as telecomunicações, televisão, autocarros e táxis. Já Chan Meng Kam pergunta ao Executivo se tem planos para controlar a poluição causada pelos automóveis.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Assembleia Legislativa não tem capacidade para regular a vida em Macau”, afirma Jorge Morbey em entrevista ao Jornal Tribuna de Macau. A publicação chama também à primeira página a polémica sobre a torre de controlo do Grande Prémio de Macau e a “entrada de leão” do Sporting na Liga de Elite.

 

O Hoje Macau puxa para manchete a proposta de lei sobre o erro médico e o parecer entregue pela Associação dos Médicos de Língua Portuguesa. “Não aquece, nem arrefece”, lê-se nas gordas. Destaque ainda para uma reportagem sobre a Hospedaria San Va: “Espionagem, refúgio e outras tantas histórias”.

 

A lei do erro médico também faz a manchete da edição desta segunda-feira do Ponto Final, que divide a capa com a chamada para um texto sobre a torre de controlo do Grande Prémio de Macau e a polémica que envolve o arquitecto autor da antiga estrutura.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

As previsões da empresa Ricacorp para o sector imobiliário são o principal tema do Business Daily: o número de casas vendidas este ano poderá ser o mais baixo dos últimos 14 anos, uma antevisão justificada com a oferta limitada de fracções e a “incerteza do mercado”. Chamada à primeira página para uma entrevista com Andrew Klebanow, especialista em jogo.

 

No Macau Daily Times, a manchete faz-se com a conclusão da Associação dos Médicos de Língua Portuguesa, que diz que a lei do erro médico “não é necessária”. Na imagem da primeira página, uma fotografia de turistas, para o título que dá conta de um milhão de turistas no território na semana dourada do Ano Novo Chinês.

 

O Macau Post Daily informa na capa que 2015 é o ano ideal para o par de pandas que vive em Macau acasalar – uma informação dada ao jornal pelo Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais. Noutro tema a merecer destaque de primeira página, o atropelamento mortal ocorrido ontem junto ao Jardim Lou Lim Ieoc. O condutor do autocarro envolvido no acidente garante que a vítima atravessou a rua no momento em que os semáforos estavam verdes para os veículos.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily ocupa grande parte da primeira página com a candidatura de Pequim aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022. As autoridades reconhecem que a poluição pode ser um obstáculo, mas prometem resolver o problema a tempo da realização dos Jogos, caso a capital chinesa seja a cidade escolhida para anfitriã.

 

No Standard, em foco as medidas de isenção fiscal de que beneficiam os residentes de Hong Kong. O secretário para as Finanças deixou ontem o aviso: estas medidas são apenas políticas anticiclícas que estão sempre dependentes do contexto externo, dando a entender que estão prestes a terminar.

 

No South China Morning Post, o mesmo tema em manchete – as reduções fiscais em breve passarão à história, escreve o matutino. Na fotolegenda da capa, ainda o caso da empregada doméstica indonésia que terá sido vítima de abusos por parte da patroa. Ontem, cerca de 500 empregadas domésticas não residentes concentraram-se no Victoria Park para uma manifestação em que pedem o fim das medidas discriminatórias.