Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Infracções nos serviços de táxis aumentam em 2013
Terça, 04/02/2014

Os Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) registaram, no ano passado, mais infracções nos serviços de táxi  um aumento de quase 30 por cento, em comparação com 2012. De acordo com números oficiais revelados à Rádio Macau pelos serviços dirigidos por Wong Wan, foram mais de 2700 as irregularidades detectadas, mas nenhum motorista viu cancelada a carteira profissional.

 

A grande maioria – 2.225 – das 2.773 infracções cometidas por taxistas em 2013 foi reportada às autoridades pelos clientes. Só em 548 casos é que os inspectores da DSAT detectaram as transgressões.

 

Em relação a 2012, verifica-se um aumento de quase 30 por cento no número de infracções, já que, nesse ano, foram registadas 2.145 (1.657 reportadas por clientes e 488 pela fiscalização da DSAT). Recusa de transporte, cobrança excessiva de tarifas, erros no percurso, comportamento incorrecto dos taxistas e condução perigosa são as principais razões de queixa dos clientes.

 

No ano passado, as infracções valeram a punição de 252 motoristas – 183 chegaram mesmo a pagar multas, tendo sido cobrado um total de 173 mil patacas. No entanto, nenhum condutor de táxi em Macau viu cancelada a carteira profissional, apesar de ainda não terem sido concluídos todos os processos de investigação. É por este motivo que, em 2013, as punições a taxistas são inferiores às de 2012. Nesse ano, 422 taxistas foram sancionados e 345 pagaram multas, que chegaram às 325 mil e 500 patacas.

 

Na resposta à Rádio Macau, a DSAT voltou a afirmar que o agravamento das multas aos taxistas pode ser uma medida eficaz para aumentar o poder de dissuasão.