Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 26/11/2013

As Linhas de Acção Governativa (LAG) da tutela de Francis Tam marcam hoje a imprensa local. Os jornais de língua portuguesa e inglesa destacam a questão dos recursos humanos.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

As LAG da área de Francis Tam marcam a primeira página de hoje do jornal Va Kio. O diário cita o secretário dizendo que a diversificação da economia é um dos pontos essenciais das metas do próximo ano. O jornal escreve ainda que Francis Tam considera que o método actual de elaboração do orçamento ainda tem algumas falhas e promete elevar a sua transparência. A potencialidade da Ilha da Montanha como impulsionadora do intercâmbio na economia regional é outro dos temas do debate das LAG destacado pelo Va Kio, que indica ainda que o rumo da tutela da Economia e Finanças passa por “estabilizar o crescimento”, numa altura em que “a economia de Macau está a chegar a um novo pico”.

 

As LAG estão ausentes da primeira página do Ou Mun, apesar de merecerem destaque na terceira página. Na primeira, os títulos principais vão para o caso de duas crianças de Hong Kong que morreram depois de terem contraído pneumonia. Em Macau, os Serviços de Saúde vão reforçar a administração de uma vacina anti-pneumocócia a crianças com idades entre os 15 meses e os cinco anos. Também na primeira do Ou Mun está o apelo das autoridades aos residentes para que apresentem opiniões sobre os serviços televisivos, e uma acção de promoção de segurança rodoviária levada a cabo pela PSP na zona de Toi San – entre Janeiro e Outubro, adianta o jornal, 223 pessoas foram acusadas de desrespeitaram as regras de trânsito ao atravessarem a rua.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

O canal chinês da Rádio Macau destaca, esta manhã, o encontro entre o primeiro-ministro chinês e o homólogo da Roménia. A Ou Mun Tin Toi lembra ainda que continua hoje o debate das LAG para 2014 na área da Economia e Finanças.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

A manchete do Hoje Macau vai para a “mentira dos números” sobre o número de residentes que vivem em habitação própria: o jornal dá conta do alerta de Albano Martins, que diz que os Serviços de Estatística e Censos (DSEC) analisaram dados por famílias e não individualmente, o que gerou “confusão”. Segundo o diário, os mesmos serviços “sacodem a água do capote” e alegam que a unidade de cálculo está de acordo com o estipulado pelas Nações Unidas. O diário destaca ainda o debate das LAG, com a importação de trabalhadores “na ordem do dia”.

 

O mesmo tema faz a manchete do Jornal Tribuna de Macau. O diário conta que alguns “deputados não querem presença de trabalhadores não residentes” – em causa estão as intervenções das deputadas Song Pek Kei e Lei Cheng I, que exigiram medidas ao secretário para a Economia e Finanças. O JTM destaca também a manifestação de ontem perto do hemiciclo: “Motoristas e camiões em protesto junto à Assembleia Legislativa”, contra a importação de profissionais ao exterior para o desempenho desta profissão.

 

“Quota para crescer” é o que se lê na manchete do Ponto Final. O diário alude à informação avançada pelo secretário para a Economia e Finanças, que diz que a população activa de Macau pode aumentar em 20 mil pessoas por ano. Francis Tam assegura, no entanto, que o emprego e o nível salarial dos trabalhadores locais são prioridade na importação de mão-de-obra. Noutro destaque, e numa altura em que os portugueses Moonspell visitam a China, o Ponto Final conta que a música heavy metal tem cada vez mais seguidores em Pequim.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times escreve hoje que a “importação de mão-de-obra e a aparente xenofobia aquecem debate das LAG” – na notícia, o jornal destaca a intervenção da deputada Song Pek Kei, que afirmou, no hemiciclo, que os trabalhadores não residentes estão a ocupar espaços de lazer destinados à população. Em grande plano, também na primeira página do Macau Daily Times, está a fotografia de um avião, com o título: “Japão e China em guerra de palavras por causa de espaço aéreo”.

 

Na manchete do Macau Post Daily está a garantia deixada ontem, na Assembleia Legislativa, pelo secretário para a Economia e Finanças: “Francis Tam diz que quase 85 por cento dos cargos intermédios de supervisão – em funções além jogo, desempenhadas nas operadoras –, são exercidos por residentes.” O jornal destaca ainda uma descoberta que sugere que o Buda poderá ter vivido no século 6 antes de Cristo.

 

No Business Daily, é também Francis Tam que está na primeira página. Neste caso, o destaque vai para a questão das negociações para a renovação das concessões de jogo: “Tecto das mesas de jogo ‘não vai influenciar’ conversações sobre a licença de jogo”, diz o secretário, citado pelo jornal financeiro. O jornal destaca também a quebra no número de visitantes de exposições e convenções – uma descida de 13 por cento no terceiro trimestre.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No South China Morning Post, destaque, hoje, para a polémica entre a China e o Japão, com o título “Zona aérea considerada perigosa”. Em causa está o facto de Pequim ter declarado a existência de uma zona aérea de defesa no Mar do Sul da China – a “estratégia de defesa é criticada pelo líder japonês e inflama tensões diplomáticas na região”, escreve o jornal. Noutro tema, o South China Morning Post elogia heróis desconhecidos de Hong Kong, que “incorporam o espírito da cidade”. Trata-se de 11 indivíduos distinguidos pelo trabalho realizado para ajudar a construir uma Hong Kong melhor, no âmbito dos “The Spirit of Hong Kong Awards”, lançados pelo diário. Entre os vencedores estão pessoas ligadas a instituições de caridade, mas também casos como o de um sobrevivente do desastre do ferry, em Lamma, que salvou dois estranhos.

 

O China Daily escreve, esta terça-feira, que as regras relativas ao investimento na China vão ser mais flexíveis, ao abrigo da reforma no país. O diário conta que o controlo de projectos vai ser aliviado e a fixação de preços minimizada pelo Governo Central. Noutro destaque, o jornal chama a atenção para os acordos selados entre a China e a Roménia – a cooperação passa por uma ligação ferroviária de alta velocidade a ser construída em solo romeno com tecnologia chinesa.

 

O Standard escreve hoje que o filho de um bilionário filantropo está a processar uma série de entidades por fraude, incluindo uma consultora que o actual Chefe do Executivo de Hong Kong liderava. O caso está relacionado com o património da família.