Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (quarta-feira)
Quarta, 24/07/2013

As questões da Associação Novo Macau sobre as subconcessões do jogo, a luta por um estágio de advocacia e as prioridades da juventude de Macau estão em destaque na imprensa de Macau em língua portuguesa.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

Na manchete do Ponto Final há “Novo ataque às subconcessões” – “A Associação Novo Macau pede que o secretário Francis Tam e Edmund Ho sejam investigados por abuso de poder. Em causa está a total autonomia que concederam às subconcessionárias de jogo, que não passaram por concurso público nem publicam os contratos em Boletim Oficial.”

 

No outro tema que divide atenções: “Previsões em alta” – “A Associação de Ciências Económicas e Albano Martins não acreditam no arrefecimento do sector imobiliário anunciado pela Autoridade Monetária. Por outro lado, apontam para um crescimento do Produto Interno Bruto de pelo menos oito por cento, com uma subida de mais de 14 por cento nas receitas de jogo.”

 

“Tribunal abre portas a estágio de advocacia”, lê-se no título principal do Jornal Tribuna de Macau, que destaca assim o caso de um licenciado da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau que venceu processo, mas a Associação dos Advogados recorreu.

 

Outro tema em grande foco: “Instituto de Acção Social quer 100 enfermeiros para lares de idosos”.

 

No Hoje Macau, o tema principal é uma sondagem sobre o que pensa a juventude de Macau: “Pataquinha, meu amor”, diz a manchete. “Um estudo da Federação das Associações de Operários de Macau revela a desgraça”, escreve o jornal. “Os jovens só pensam em dinheiro. Carreira profissional ou outros interesses na vida, praticamente, não existem”.

 

Grande destaque dado, também , à notícia de que “Meninas recusam sair da casa de Rocha Vieira” – O ex-governador de Macau tenta expulsar de um apartamento que arrendou em Lisboa prostitutas que o utilizam como casa de alterne.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Post Daily Independent destaca os comentários da vice-comissária dos Negócios Estrangeiros do Governo Central em Macau. Zhang Jingfeng opõe-se à interferência de “forças externas” nos assuntos internos de Macau. O jornal afirma que se trata de uma referência ao próximo acto eleitoral para as eleições legislativas.

 

As palavras de Zhang foram proferidas num discurso perante cerca de uma centena de alunos do secundário, que ontem visitaram a representação do ministério dos Negócios Estrangeiros.

 

Destaque, ainda, para o desmantelamento de uma rede de prostituição, em que foram detidas nove pessoas com idades compreendidas entre os 16 e os 45 anos, todos da província de Hunan.

 

No Business Daily, o título principal dá conta de “controlos fronteiriços mais rápidos para melhorar a imagem de Macau como cidade turística”. Agentes da indústria do turismo defendem que um esquema experimental que permita aos visitantes de Guangdong usarem um cartão electrónico vai reduzir o tempo de espera nas fronteiras.

 

Outra notícia em foco: Governo contesta processo movido pela Reolian, que reclama pagamentos pelos serviços de autocarros.

 

“As corridas de rua em Macau tornam-se cada vez mais difíceis de detectar para a polícia”, lê-se no título principal do Macau Daily Times, que no outro grande destaque informa que “Kate deu à luz um rapaz”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post dá hoje o maior destaque à notícia de que Bo Xilai enfrenta um julgamento em que é acusado de ter recebido 30 milhões de dólares de Hong Kong em subornos. São detalhes que surgem na Internet chinesa acerca de um julgamento que estará para breve.

 

Noutro tema em foco, o diário titula: “Xi Jinping descansa liberais com apelo a reformas”.

 

O jornal The Standard tem a primeira página dominada pelo bebé de William e Kate: “À espera do príncipe”, diz a manchete.

 

“Optimismo dos consumidores atinge nível máximo”, lê-se no título principal do China Daily. O jornal oficial chinês destaca os dados que analistas entendem como indicador de que o consumo vai suportar a segunda maior economia do mundo, que tem dado sinais de abrandamento.

 

Nesta primeira página, surge ainda em foco a notícia de que a cidade de Cantão vai lançar, à semelhança de Pequim e Xangai, um esquema em que é dispensado visto para estadias de 72 horas a visitantes de 45 países em trânsito pela capital da província de Guangdong.