Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (quarta-feira)
Quarta, 17/07/2013

O balanço da criminalidade feito pela Polícia Judiciária domina os destaques da imprensa de Macau nas línguas chinesa e portuguesa. Em Hong Kong, as parangonas fazem-se com o almoço entre deputados e o director do Gabinete de Ligação do Governo Central no território.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

Há cada vez mais jovens envolvidos em crimes relacionados com droga nas escolas, destaca o Va Kio no título principal. O jornal acrescenta que a PJ vai aprofundar a sensibilização e cooperar com os professores, os alunos e todos os sectores da sociedade para prevenir a criminalidade.

 

Destaque, ainda, para os planos dos Serviços de Educação e Juventude para o próximo ano lectivo. Está prevista a atribuição de um subsídio para as propinas aos alunos de Macau que frequentam o ensino secundário complementar nas escolas regulares ou nas escolas intermédias profissionais, a tempo inteiro, das cidades de Zhuhai e Zhongshan. O plano beneficia cerca de 260 alunos. O montante do subsídio pode atingir, por aluno e por ano lectivo, quatro mil patacas.

 

Ainda em foco na primeira do Va Kio o anúncio da Comissão para os Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa sobre os 30 locais de votação no escrutínio de 15 de Setembro.

 

No Ou Mun, o maior destaque é dado à notícia de que a Polícia Judiciária abriu 308 inquéritos relativos a crimes informáticos, entre Junho do ano passado e Maio deste ano, o que representa uma subida de 78 por cento, em comparação com o mesmo período do ano passado. A maioria dos crimes foram burlas informáticas ou envolveram cartões bancários falsos.

 

Foco, ainda, para a notícia de que a PSP desmantelou duas redes de prostituição na zona da Areia Preta, tendo sido detidas nove mulheres da China.

 

Outra notícia destacada na primeira do Ou Mun: águas poluídas do Rio Hejiang chegaram a Zhuhai, mas a situação não teve qualquer impacto no abastecimento a Macau.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A notícia em destaque nesta manhã informativa da Ou Mun Tin Toi avança que a Casa Branca insiste que Edward Snowden deve voltar para os Estados Unidos para enfrentar o julgamento.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Ponto Final escreve hoje na manchete “Património a estorvar” – “A Lei de Salvaguarda do Património Cultural vai prever o ‘deslocamento’ de imóveis listados que podem ‘estorvar o desenvolvimento’ da cidade, disse ontem o deputado Cheang Chi Keong.”

 

No outro tema que divide as atenções nesta primeira página, o título fala n’“Um país nuclear” – “Dos 66 reactores nucleares em construção no mundo, 28 estão na China. Mas o World Nuclear Industry Status Report deste ano diz que a aceitação por parte das populações ‘já não pode ser tomada por garantida’ e cita o físico He Zuoxiu, que vê como ‘muito provável’ um acidente nuclear no Continente entre 2020 e 2030.”

 

No Hoje Macau, as parangonas dizem que “Eles querem controlar” – “Deputados temem Conselho do Património”. Destaque para a análise na especialidade à lei de salvaguarda do património: “O facto de o Governo pretender que a composição do Conselho do Património seja escolhida por nomeação, através de regulamento administrativo, está a preocupar os deputados. É que assim eles não terão votos na matéria”, escreve o jornal.

 

Outros títulos destacados nesta primeira página: “Comissão Eleitoral: Queixa contra candidato telefónico”; e “Serviços de Saúde: Centro de Coloane será expandido”.

 

“Criminalidade informática atinge nível ‘preocupante’”, lê-se no título principal do Jornal Tribunal de Macau. “PJ iniciou investigação de 138 casos entre Janeiro e Maio, adiantou Wong Sio Chak”, o director da Polícia Judiciária.

 

O outro tema em grande foco nesta edição é “Uma lei ‘suave’ para regular agências imobiliárias”.

 

Espaço, ainda, para os títulos informando que “Lei eleitoral poderá ser revista no futuro” e “Governo confia na análise da Unesco”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Post Daily Independent escolhe como notícia mais importante o facto de a Comissão Eleitoral para a Assembleia Legislativa ter anunciado 31 locais de voto, como se lê na manchete.

 

Já o Macau Daily Times puxa para o título principal a notícia de que a “Comissão Eleitoral denuncia casos suspeitos de violação da lei ao Comissariado Contra a Corrupção e ao Ministério Público”.

 

Em foco, ainda, nesta primeira página está a notícia de que os casos tratados pela Polícia Judiciária desceram 6,5 por cento, enquanto a criminalidade informática subiu.

 

O Business Daily informa na manchete que as receitas do jogo cresceram 15,8 por cento no segundo trimestre para 86 mil e 160 milhões de patacas.

 

Ainda no universo da principal indústria de Macau, o Business Daily dá destaque à notícia de que a empresa Bally Technologies vai comprar a SHFL por 1,3 mil milhões de dólares americanos.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O almoço de ontem entre os membros do Conselho Legislativo e o director do Gabinete de Ligação do Governo Central em Hong Kong domina a primeira página do South China Morning Post. “Candidatos a Chefe do Executivo ‘podem vir a ser alvo de escrutínio’”, lê-se no título principal.

 

Este é um tema que surge em destaque também no jornal The Standard, que puxa para manchete uma expressão que pretende resumir a posição do director do Gabinete de Ligação quanto à intervenção de Pequim na escolha do líder do Governo de Hong Kong: “Vamos peneirar todas as borras”.

 

O almoço de ontem faz o pleno nos destaques da imprensa em língua inglesa que chega de Hong Kong, com o China Daily, o jornal oficial chinês, a destacar na manchete que Zhang Xiaoming afirma aos deputados do território vizinho que a “sinceridade de Pequim sobre a implementação do sufrágio universal é ‘inquestionável’”.