Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (quinta-feira)
Quinta, 11/07/2013

O acordo proposto pelo Governo para a TV Cabo e os “anteneiros” e o ataque de piratas informáticos ao Governo são as notícias que dominam as primeiras páginas dos jornais de Macau em língua chinesa e portuguesa.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Va Kio dá o maior destaque, hoje, ao acordo entre TV Cabo e “anteneiros” – medida mantém-se até Abril do próximo ano, ou seja, até o fim do prazo do monopólio da TV Cabo. Sobre esta notícia, o Va Kio tem ainda declarações de um representante dos seis anteneiros: consideram que a proposta apresentada pelo Governo é “infantil”. Já a TV Cabo tem vontade de cooperar.

 

Em destaque no Va Kio surge, ainda, a descoberta de um cadáver na Rua da Colina, e um homem desempregado de 30 anos que foi detido por suspeita de traficar droga na zona do Fai Chi Kei.

 

No Ou Mun, é igualmente a proposta do Governo para um acordo entre TV Cabo e “anteneiros” que faz o título principal. Além das posições das partes envolvidas, o jornal destaca também que o Centro da Política da Sabedoria Colectiva defende que, como a medida envolve o erário público, o preço de transmissão não poderá ser decidido pela TV Cabo.

 

Em foco, ainda, a notícia de que serviços públicos foram alvo de ataques informáticos.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Hoje, a manhã informativa do canal chinês da Rádio Macau, a Ou Mun Tin Toi, está a ser marcada pela notícia de que, na região do Delta do Rio das Pérolas, 28 por cento dos solos têm demasiados metais pesados.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

No Ponto Final, a manchete diz “TV ao fim e ao cabo” – “O Governo diz que sentou com sucesso à mesa das negociações alguns ‘anteneiros’ e a TV Cabo, a dez meses da provável liberalização do sector.”

 

No outro destaque, o Ponto Final escreve que “PT ainda mantém negócios na China” – Acrescenta o jornal que “são 32 anos de presença em Macau que culminaram com a recente venda da participação na CTM”, mas “a Portugal Telecom tem um passado no território e no Continente, mas também tem um presente.”

 

O Jornal Tribuna de Macau dedica o título principal ao “acordo entre ‘anteneiros’ e TV Cabo” que “resolve litígio” – “fornecedores de antenas comuns passam a retransmitir sinais em nome da empresa.”

 

Grande destaque, ainda, para a notícia de que a Anima, associação protectora dos animais, “vai lançar clínica ambulante”.

 

Finalmente, o Hoje Macau escreve nas parangonas “Cofre vazio” – “Os 100 milhões de patacas depositadas nos anos 90 para pagar as aposentações dos funcionários chegaram ao fim, pondo em risco, por causa da crise lusa, as pensões dos ex-funcionários da administração portuguesa de Macau.”

 

Espaço, ainda, para os títulos: “’Anteneiros’ vs. TV Cabo – Um estranho acordo de ‘inimigos’” e “Os pandas Kai Kai e Xi Xi não sabem nadar”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times destaca na manchete que a TV Cabo e os “anteneiros” chegam a acordo para evitar corte das transmissões televisivas. No outro grande destaque, o jornal tem a revelação de Chui Sai On de que os serviços públicos foram também alvo de pirataria informática.

 

O Business Daily dedica o título principal ao acordo entre a TV Cabo e os “anteneiros” – “Sinais confusos no fiasco da TV por cabo”. Outros títulos desta edição: agência imobiliária diz que “vendas de habitações abrandou no Verão” e “Francis Tam diz que declaração de dinheiro na fronteira não tem por alvo a indústria do jogo”.

 

Finalmente, o Macau Post Daily Independent tem hoje a primeira página dominada pelas declarações do secretário para a Economia e Finanças: Francis Tam diz que a declaração do dinheiro que os turistas trazem “não vai prejudicar o estatuto de Macau como porto franco”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Uma notícia de Macau faz hoje a manchete do South China Morning Post: “Piratas informáticos de Hong Kong atacam Governo de Macau”, lê-se no título principal a propósito da informação avançada, ontem, pelo Chefe do Executivo Chui Sai On, de que também os serviços públicos foram alvo dos ataques informáticos que a Polícia Judiciária diz estar a investigar.

 

Em grande foco no South China surge, ainda, a notícia de que o uso da imagem de Bruce Lee por uma marca de “whisky” num anúncio televisivo é considerado uma “vergonha”.

 

O jornal The Standard tem na primeira página mais uma polémica envolvendo temores de “lavagem ao cérebro” nas escolas de Hong Kong. Desta vez, é um folheto informativo sobre a Lei Básica que preocupa encarregados de educação, que consideram que o texto do folheto vai “além de simplesmente explicar a Lei Básica”, servindo para, de forma encapotada, promover o patriotismo e o nacionalismo chinês.

 

Quanto ao China Daily, o jornal oficial chinês em língua inglesa faz o título principal com as declarações do vice-primeiro-ministro chinês, Wang Yang, dizendo que as conversações sino-americanas “ajudam a construir uma relação de confiança”.

 

Destaque, ainda, para a promessa de reformas económicas por parte do primeiro-ministro Li Keqiang.