Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Governo admite falta de enfermeiros e pessoal médico
Quinta, 04/07/2013

Faltam duzentos enfermeiros e cerca de 70 auxiliares de enfermagem em Macau. Por isso, o Governo tem plano para recrutar ou formar pessoal nesta área ao longo deste ano. Foi o que disse, na Assembleia Legislativa, o director dos Serviços de Saúde em resposta a uma interpelação de Ho Ion Sang.

 

O deputado quis saber se está prevista a construção de centros de saúde, se se pretende reforçar o quadro de pessoal na área da saúde e, mais importante, se há ou não um calendário para fixar as regras de credenciação desse pessoal. Lei Chin Ion, disse que essa é a prioridade do novo Conselho de Assuntos Médicos. Já quanto à calendarização para a criação do regime, “uma vez criado o Conselho para os Assuntos Médicos, a proposta será submetida à Assembleia Legislativa”, disse. Mas, por enquanto, “é difícil adiantar um calendário porque está em causa uma vasta área de disciplinas. E para a elaboração é preciso algum tempo”, sublinhou ainda. Lei Chin Ion comprometeu se ainda a formar mais pessoal médico e anunciou a criação de dois cursos para internato geral.

 

Noutra interpelação, sobre direitos do consumidor, Lee Chong Cheng fez notar que a lei sobre esta matéria há mais de dez anos que não é actualizada, e perguntou ao director dos Serviços de Economia, se existe alguma intenção do Governo de mexer neste ponto - definir regras de fiscalização, com mais garantias para os consumidores, por exemplo, em questões como a antecipação de pagamentos. Sou Tim Peng respondeu que o Governo está empenhado em sensibilizar os consumidores mas dúvida da eficácia de uma lei para questões tão específicas.

Pereira Coutinho também interveio. Foi uma interpelação dirigida ao director dos Serviços de Administração e Função Pública, sobre horas extraordinárias dos condutores de transportes públicos. Alegou Coutinho que há um tratamento desigual face aos funcionários públicos dos gabinetes dos altos cargos da administração, alega. José Chu reconheceu que houve problemas, em particular, durante, os dias de tufão. Mas, disse o responsável, foi encontrada uma solução. Os trabalhadores já foram compensados.