Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Activistas detidos já em liberdade
Segunda, 01/07/2013

Já estão em liberdade os seis manifestantes que foram ontem detidos pela polícia na sequência na marcha de ontem até à Penha, pela demissão de Florinda Chan.

 

Os activistas estiveram detidos várias horas, disse Jason Chao, da Consciência Macau, um dos grupos que organizou a marcha que, adiantou, pretende apresentar queixa por abuso de poder. No rescaldo da marcha de ontem, saíu a decisão de apresentar queixa contra a polícia.

 

Os manifestantes foram detidos às 21 horas de ontem e libertados às 16h55 de hoje. O dirigente da Macau Consciência adiantou ainda que alguns dos participantes na marcha ficaram feridos, na troca de argumentos com a polícia, e que a acusação policial de desobediência à autoridade, não tem fundamento. “Alguns cidadãos ficaram feridos e a polícia acusou-os de desobediência civil, mas fui testemunha e o do que vi não fizeram nada contra a polícia. Penso que a acusação policial não tem fundamento”.

 

No rescaldo daqueles acontecimentos, a Polícia de Segurança Pública emitiu ontem um comunicado cuja tradução em língua portuguesa só agora ficou disponível. A PSP sustenta que os agentes “sempre mantiveram uma atitude de contenção” alegando que fez constantes “recomendações aos manifestantes que queriam ocupar forçosamente a faixa rodoviária” nas imediações da residência da secretária para a Admnistração e Justiça, Florinda Chan.

 

O comunicado adianta ainda que os manifestantes pretendiam romper o cordão de agentes e, como tal, a PSP considera lamentáveis os actos do promotor e participantes da manifestação, actos que diz terem sido irracionais e prejudicarem os direitos de outros cidadãos e turistas.