Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Novo Macau está preocupada com vigilância dos EUA a Macau
Terça, 25/06/2013

Os representantes da Novo Macau querem saber se os Estados Unidos usaram o programa de vigilância, denunciado por Edward Snowden, no território. A associação exorta o Governo a questionar Washington se as telecomunicações locais têm sido alvo de vigilância.

 

A Novo Macau procura perceber se o PRISM - o programa de vigilância ilegal da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos – incluía pessoas ou organizações de Macau. Por isso, num encontro hoje com o director dos Serviços de Regulação das Telecomunicações, os representantes associativos pediram ao Governo do território que esclareça a situação com as autoridades norte-americanas.

 

O presidente, Jason Chao, acredita que Washington tem interesses em Macau. “Quando Edward Snowden referiu vários alvos em Hong Kong também nos custou a acreditar que esses fossem valiosos para os Estados Unidos. Mas como o país tem interesse no negócio dos casinos em Macau, talvez tenha interesse nas comunicações secretas entre os residentes. Não sei, no entanto, é o trabalho do Executivo perguntar isso ao Governo norte-americano”, sustentou Jason Chao, acrescentando que espera que o Chefe do Executivo toque no assunto quando encontrar o cônsul norte-americano, a propósito da celebração do Dia da Independência dos Estados Unidos, a 4 de Julho.

 

Ao director das telecomunicações, Jason Chao disse ser precisa uma maior atenção às várias formas de vigilância ilegal, que podem não vir só dos Estados Unidos. O líder da Novo Macau pediu a Tou Veng Keong que analise os equipamentos da nova operadora da rede fixa, a MTEL. “De acordo com fontes muito credíveis, a nova operadora vai usar equipamento da chinesa ZTE. Embora os Estados Unidos e outros países ocidentais sejam hipócritas porque até têm programas de vigilância mais severos, algumas autoridades dizem que o equipamento da ZTE podem esconder alguma forma de vigilância ou mecanismo back door”.

 

Jason Chao lembra que há várias suspeitas de vigilância ilegal em Macau. Existem pessoas que alegam ter os telefones sobre escuta ou os emails vigiados.