Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Consciência de Macau pede demissão de Florinda Chan
Domingo, 23/06/2013

O grupo activista Consciência de Macau quer que a secretária para a Administração e justiça, Florinda Chan, apresente a demissão. Em declarações à Rádio Macau, o líder do grupo, Jason Chao, defende que, apesar do Tribunal de Última Instância ter ilibado a secretária das acusações no caso das campas, Florinda Chan deve ser responsabilizada pelas acções do presidente do instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, Raymond Tam, arguido num caso conexo ao das campas. “Nós pedimos a Florinda Chan que se demita. De acordo com o sistema de responsabilização de Hong Kong, que Macau está a seguir, Florinda Chan deve demitir-se independentemente de ser considerada culpada ou não no caso de Raymond Tam que vai ser julgado pelo tribunal. Florinda Chan, aparentemente, foi ilibada das acusações pelo tribunal. A secretária é responsável por exigir o cumprimento do dever e pla supervisão do trabalho de Raymond Tam.”

 

No entanto, a responsabilização pelas acções de Raymond Tam não é o único motivo que Jason Chao encontra para pedir a demissão de Florinda Chan: “Nos últimos anos, a secretária não reformou de forma efectiva o sistema legal de Macau. A secretária falhou na reforma da administração pública, que é uma promessa que fez à população.”

 

De acordo com Jason Chao, a demissão da governante será a principal reivindicação de um protesto que está a ser preparado para se realizar no próximo domingo: “Vai haver uma manifestação no próximo domingo, para pedir à secretária que se demita. Nós, a Consciência de Macau, seremos um dos grupos que vão organizar e participar. Ainda estamos a discutir um plano, mas com toda a probabilidade vai haver uma manifestação no dia 30 de Junho.”

 

Já num comunicado, divulgado após uma conferência de imprensa organizada hoje, o grupo Consciência de Macau manifesta-se ainda contra o facto de a secretária reservar-se o direito de agir judicialmente contra quem a acusou no caso das campas, ou seja, Paulina Alves dos Santos.

 

Jason Chao afirma que se Florinda Chan avançar para os tribunais vai estar a intimidar outros que pretendam denunciar suspeitas, pelo que a Consciência de Macau pede mesmo ao Governo legislação para proteger denunciantes que “contribuem para a integridade da Administração.”