Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 05/06/2013

A demissão de Raymond Tam da Comissão de Assuntos Eleitorais e a vigília de ontem à noite no Largo de São Domingos evocativa dos 24 anos do massacre dos estudantes na Praça de Tiananmen em Pequim são os principais temas da imprensa portuguesa desta manhã. 

 

Jornais de Macau em língua chinesa

No Va Kio, a demissão de Raymond Tam ocupa grande espaço. O presidente do IACM demitiu-se do cargo de vogal da Comissão para os Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa por motivos pessoais. O jornal dianta ainda que a Comissão de Luta contra a Droga apresentou um pacote de medidas para combater o aumento de casos de drogas nas escolas. 

 

O Ou Mun destaca, também, a demissão de Raymond Tam. O presidente do IACM está envolvido no “caso das campas” e deverá enfrentar julgamento porque o Tribunal de Segunda Instância recusou o requerimento da sua instrução. Uma notícia de transportes no Ou Mun: os residentes de Macau vão poder usar o “MacauPass” para usar o metro interurbano no Delta do Rio das Pérolas, em Cantão. Um plano que vai estar à experiência no próximo ano e, se der certo, em 2015 a operação está no terreno.

 

Canal chinês da Rádio Macau

No Ou Mun Tin Toi ouvimos esta manhã que, na província de Qinghai, ocorreu um sismo com magnitude cinco, na escala de Richter. A rádio disse ainda que o Governo não autoriza a Venetian a vender as unidades de alojamento do apart-hotel.

 

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

O Hoje Macau puxa para manchete o caso da demissão de Raymond Tam. “O tribunal marca a hora”, escreve o jornal que, na primeira página, diz também que o Instituto Politécnico de Macau prepara um pós-doutoramento na área do jogo.

 

O Jornal Tribuna de Macau surge com grande foto da vigília no Largo de São Domingos. “Por Tiananmen” é o título. A manchete pertence ao abandono de Tam. “Raymond Tam vai a julgamento”. O jornal refere também o colóquio que reúne os países lusófonos em Macau para explorar oportuidades de negócio na área do turismo.

 

O Ponto Final entrega a manchete às evocações do massacre dos estudantes em 1989. “Vigília renovada”, diz o jornal com declarações sobre o assunto do deputado Ng Kuok Cheong, da Associação Novo Macau. Em grande foto surge Raymond Tam. “Tam em tribunal”, sobre a saída do presidente do IACM da Comissáo dos Assuntos Eleitorais.

 

 

Jornais de Macau em língua inglesa

No Macau Daily Times, surge em grande destaque a demissão de Raymond Tam da Comissão Eleitoral, e na parte inferior da primeira página, grande foto da vigília de ontem à noite no centro da cidade. “Vigília de velas lembra massacre de 4 de Junho”.

 

O Macau Post Independent ocupa toda a página com uma notícia de uma académica que alerta contra os riscos do jogo influenciar as decisões políticas. E na parte inferior, uma notícia de internacional sobre a imposição de taxas sobre a importação de painéis solares.

 

O Business Daily refere, na primeira página, que o aumento dos seguros de vida fez aumentar exponencialmente o negócio das seguradoras.

 

 

Jornais de Hong Kong de língua inglesa

O China Daily continua a acompanhar a visita de Xi Jiping à região das Caraíbas e América Central. Hoje na edição surge a foto do presidente e da mulher rodeados de crianças e a manchete: “Negócio fechado no mercado da Costa Rica”. Na primeira do China Daily nem uma referência aos 24 anos de Tiananmen.

 

Já no Standard, surgem imagens da vigília de ontem à noite em Hong Kong recordando Tiananmen. 150 mil pessoas, contas do jornal, aguentaram à chuva e daí a manchete: "Firmes".

 

O South China Morning Post atribui grande destaque da primeira à vigília. “Velas à chuva marcam a vigília do 4 de Junho”, diz o jornal com fotografia da multidão que, ontem, se congregou no Victoria Park para recordar o massacre dos estudantes.