Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Arrancou hoje colóquio sobre turismo para países lusófonos
Terça, 04/06/2013

O Fórum Macau iniciou esta manhã mais um colóquio para os países de língua portuguesa, direccionado para a indústria do turismo e de exposições e convenções. A iniciativa trouxe ao território 28 representantes, que durante 13 dias assistirão a palestras temáticas, estando também calendarizada uma visita a Nansha, em Cantão.

 

Entre os participantes de sete países lusófonos estão quatro de Portugal. Em declarações aos jornalistas, o director do Departamento de Coordenação Técnica e Formação Avançada do Turismo de Portugal disse que esta é mais uma oportunidade para o reforço dos laços históricos. “Tivemos muitos anos relacionamento com esta região, há muitos laços afectivos de portugueses para com Macau e então o canal está aberto e pode ser desenvolvido dentro desse espírito”, apontou Paulo Revés, acrescentando que haverá uma troca de experiências nas áreas em que cada um esteja “mais avançado”.

 

Um dos representantes de Cabo Verde é a deputada Suzete Moniz. Numa altura em que o país se prepara para abrir os primeiros casinos, o objectivo é despertar o interesse de investidores e turistas da China e de Macau. O Governo cabo-verdiano deve aprovar pelo menos duas licenças de jogo ainda no próximo meio ano.

 

Já a Guiné-Bissau procura a ajuda de Macau no âmbito do ecoturismo, avança o representante do Instituto da Biodiversidade de Áreas Protegidas. Abdulai Sêca sublinhou ainda que procura transferir para o país conhecimentos também no que respeita ao sector MICE e à protecção do património.

 

A Guiné-Bissau é o único país que tem já planeada a formalização de um protocolo com o Fórum Macau, devendo os outros países discutir a hipótese nos próximos dias. Além dos países acima mencionados, participam ainda no colóquio de turismo para países lusófonos, o Brasil, Angola, Moçambique e Timor-Leste.