Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

MTEL vai concorrer aos serviços de internet
Segunda, 03/06/2013

A MTEL anunciou a vontade de disponibilizar serviços de internet, umas horas depois de o Governo ter aprovado a licença para operação da rede fixa de telecomunicações. Em conferência de imprensa, o consórcio revelou que ainda na próxima semana irá submeter o pedido para o fornecimento dos serviços de internet.

 

A empresa quer privilegiar a fibra óptica, para garantir serviços de maior confiança. Por isso, vai começar a montar a própria rede que deverá ficar pronta para operação no próximo ano e meio. O director executivo da MTEL, Michael Choi, preferiu, por isso, não avançar uma data para a aceitação dos primeiros clientes. “Até termos a rede de fibra óptica montada só temos uma forma de disponibilizar o serviço de internet que é alugando a actual rede do Governo. Mas, aqui, o grande desafio que se coloca é a negociação com a operadora CTM, por causa da estrutura de preços”, afirmou.

 

Michael Choi promete ainda preços mais baixos do que os da concorrente, assim como uma internet mais rápida. “Como podemos garantir que a internet vai ser mais rápida do que a da CTM? Porque usaremos a fibra óptica que nos permite mais facilmente aumentar a velocidade sempre que estiverem reunidas as condições”.

 

A MTEL vai fazer um investimento total de mil milhões de patacas, devendo o retorno chegar já perto do termo da licença, concedida até 2021. “Vai ser um desafio, porque prevemos que conseguiremos lucros apenas nos últimos um ou dois anos da licença. Mas estamos confiantes que os serviços que disponibilizaremos irão agradar a comunidade de Macau e assim esperamos que o Governo prolongue a licença”, avaliou o líder da nova operadora de telecomunicações.

 

Os investidores são o próprio Michael Choi, o advogado Paulino Comandante e ainda outras três empresas, a serem anunciadas em tempo oportuno.

 

Daqui a um ano e meio, a MTEL quer levar a fibra óptica pelo menos a 30 por cento dos edifícios de Macau. A Ilha da Montanha também está nos planos do consórcio.

 

O director executivo anunciou ainda que para operar a rede fixa de telecomunicações a empresa conta com parceiros de peso.  A multinacional chinesa ZTE, e outra empresa fabricante de fibra óptica do Continente irão prestar serviços à empresa local.