Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 03/06/2013

Desistências na política, nova creche na Santa Casa da Misericórdia e a preparação do relatório sobre a situação dos direitos humanos na RAEM alimentam hoje as primeiras páginas da imprensa portuguesa.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O Va Kio dá destaque ás autoridades de Macau, de Hong Kong e de Guangdong organizaram, ontem, um festival para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, de modo a sensibilizar a população para a defesa do ambiental. O director da Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental disse que cobrar imposto sobre sacos plásticos só depois de ouvir a sociedade. Outra notícia respeita a Federação dos Cidadãos de Macau que, ontem, organizou um fórum para discutir a questão dos quadros qualificados. Diz o Va Kio que vários oradores disseram que não queriam estudantes não residentes a trabalhar em Macau, e achavam que o Governo só escutava as opiniões que queria escutar. O Va Kio adianta ainda que, hoje, se publica a 2ª licença de telefone fixa, a MTEL instalará uma rede fixa de fibra óptica integral.

 

O Ou Mun dá voz às três operadoras de autocarros dizem que não existem “autocarros fantasma”. Os cidadãos sugerem que as operadoras de autocarros entreguem os dados para dissipar essa suspeita e pedem que sejam publicados os números dos passageiros transportados a diferentes horas para demonstrar se há ou não autocarros insuficientes. A Transmac nota que o Caderno de Encargos já é inadequado à situação actual. É que os números de passageiros e veículos, e a situação rodoviária de Macau têm-se alterado muito ao longo dos últimos cinco anos. Uma notícia do Ou Mun afirma que as autoridades querem construir um novo Museu de Macau na zona nova de aterros. Os espaços do Museu de Macau são insuficientes, no entanto, as peças expostas têm aumentado.

 

 

Canal chinês da Rádio Macau

No Ou Mun Tin Toi ouviu-se, esta manhã, que Macau vai acrescentar mais uma licença de telefone fixa. A CTM vai investir 500 milhões patacas no desenvolvimento de telefone fixa.

 

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

O Jornal Tribuna de Macau diz, na manchete, “Nova creche planeada pela Santa Casa”, mas em grande espaço surge uma foto de Edite Silva, presidente da direcção da Escola Portuguesa de Macau. “O caminho da Escola está traçado”.

 

No Hoje Macau, “Perdeu-se a Voz”, refere a manchete sobre a desistência de Casimiro Pinto à candidatura à Assembleia Legislativa. “O trabalho feito foi muito pouco”, diz o tradutor. O jornal dá ainda atenção ao relatório que a RAEM está a preparar sobre Direitos Humanos a enviar à ONU. “Cumprir calendário apenas”.

 

O Ponto Final surge com Kwan Tsui Hang numa grande foto. “A opinião dos outros” é o título referindo-se que a deputada pediu um debate na Assembleia Legislativa sobre a contratação de estudantes não residentes finalistas do ensino superior. “Consultar o povo a pedido da ONU” é, porém, a notícia que o jornal puxa para manchete acerca da decisão do Governo, sob recomendação da Onu, de abrir à participação o processo de revisão do cumprimento das normas internacionais sobre esta matéria.

 

 

 

Jornais de Macau em língua inglesa

O Macau Daily Times comemora hoje seis anos de vida e na edição de aniversário publica uma entrevista com Michael Leven, da Las Vegas Sands, que diz que os casinos serão em breve zonas livres de fumo. Em grande destaque, residentes de Zhuhai podem obter vistos conjuntos para Macau e Hong Kong.

 

O Business Daily reflecte, em manchete, a descida ligeira dos preços das casas à venda e vendidas, em Abril passado. Outra notícia refere a flexibilização da política de emissão de vistos individuais pelas autoridades de Cantão.

 

O Macau Post Independent dá eco às vozes de contestação ouvidas no programa da TDM, Forum Macau, aos serviços das operadoras de transporte público. “Companhias negam qualquer falha”. Uma notícia da secção internacional: “Presidente palestiniano nomeia novo primeiro-ministro”.

 

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

O South China Morning Post puxa para manchete o tema do quatro de Junho, o massacre dos estudantes na praça Tiananmen de Pequim, em 1989. “Repudiem os acontecimentos de quatro de Junho”, diz o antigo assistente do líder comunista Zhao Zhyang. Se a nação quiser progredir que a liderança chinesa reflicta sobre o que se passou, defende Bao Tong ao South China Morning Post.

 

O China Daily apresenta, na manchete, a visita de Xi Jiping às Caraíbas. Em Trinidad y Tobago, líderes reforçam laços económicos, diz a manchete.

 

No Standard, a primeira página é de publicidade, a primeira notícia respeita ao desmantelamento de uma rede de falsificação de malas de luxo falsas.