Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 31/05/2013

As explicações do director para os Assuntos de Tráfego a propósito das críticas da Auditoria estão em quase todas as primeiras páginas da imprensa local. Em Hong Kong, os matutinos destacam as crianças.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio destaca o caso de uma mulher residente suspeita de burlar dinheiro a trabalhadores não residentes, a quem prometia emprego em hotéis do território. As autoridades dizem que o caso envolveu 1.200 vítimas e um montante de 3 milhões de patacas.

 

O jornal traz ainda outros números sobre casos de burla. Só neste ano, a Polícia Judiciária recebeu 51 queixas através do telefone, com os casos a envolverem cerca de um milhão de patacas. A Judiciária já iniciou uma campanha de sensibilização.

 

Na primeira está também Wong Wan. O director dos Serviços para os Assuntos de Tráfego garante que se os problemas mencionados no relatório do Comissariado da Auditoria forem verdadeiros, vai exigir às operadoras de autocarros a devolução do dinheiro em falta. Wong Wan anunciou ainda uma revisão periódica do contrato para os serviços de autocarros públicos.

 

Na primeira do Ou Mun, está também Wong Wan. Ainda a propósito das declarações de ontem, o jornal sublinha que os Serviços para os Assuntos de Tráfego prometem investigar a partida de “autocarros fantasma”. O director Wong Wan pede, no entanto, mas mais tempo, escreve o jornal, porque o caso envolve cerca de 5 milhões de partidas de autocarros e ainda 900 milhões de patacas em fundos públicos. O diário realça ainda que Wong Wan não quer demitir-se.

 

Ainda noutro destaque de primeira, o matutino revela que a Polícia de Segurança Pública deteve, no centro de Macau, cinco carteiristas da província de Guangxi.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi diz que deflagrou um pequeno incêndio na Povoação de Cheok Ká Chun, na Taipa. Tudo não passou de um acidente e a rádio sublinha ainda o facto de ninguém ter ficado ferido.

 

Noutra notícia, do alinhamento da manhã, a Rádio Macau informa que o Ministério Público sugere mudanças ao Código Penal para se proteger melhor as crianças dos actos de abuso sexual.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Uma casa, uma criança” diz em manchete o Hoje Macau, a propósito do acolhimento dos mais novos que “pode passar pelos grupos familiares”. O presidente do Berço da Criança dá uma entrevista ao Hoje Macau em vésperas do Dia Mundial da Criança. Noutras chamadas de primeira página lê-se “Governo quer rever contratos das operadoras de autocarros” e “caso Ao Man Long – tribunal emite mais mandados de detenção”.

 

O Ponto Final fala de um “clima de terror branco” sobre a situação de Lee Kin Yun que acusa o Governo de Hong Kong de estar a levar a cabo uma “perseguição política direccionada” contra o campo pró-democracia. As declarações do activista de Macau, que na segunda-feira começa a ser julgado na região vizinha. O destaque fotográfico é feito com a Escola Portuguesa. O jornal entrevistou Manuel Machado por causa do 15º aniversário da escola, que se celebra hoje.

 

A manchete do Jornal Tribuna de Macau diz: “ouve-se desilusão na Ilha da Montanha” – um ano depois, o JTM regressou à ilha e os habitantes “não esconderam a desilusão que sentem por o desenvolvimento não lhes bater também à porta”.  O JTM escreve ainda na primeira que “contratos dos autocarros podem ser revistos antes de terminarem” e que “galeria portuguesa expõe Andy Warhol em Macau”.

 

O Clarim faz a manchete com a República Popular da China: “Pilatos mora ao lado”. Sobre a Art Basel erm Hong Kong, o semanário escreve “grito contemporâneo”. “Turismo religioso ganha forma” e “expropriações: lei desactualizada” são outros temas que marcam a edição desta semana do Clarim.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Post Daily foca um estudo que conclui que a mão-de-obra estrangeira melhora a economia. Além disso, na primeira está em grandes destaque a exposição de arte no Venitian, com o título: “do jogo às galerias, a arte de Macau faz a sua estreia”.    

 

O Macau Post escreve que “polícia deteve mulher local por oferta de empregos falsos”. O jornal realça ainda que o esquema envolveu cerca de mil vítimas assim como 3 milhões de patacas. A suspeita terá enganado pessoas de vários países, incluindo a China, a Indonésia e as Filipinas.

 

O Business Daily diz que o imposto sobre o jogo pode subir. O diário económico escreve que o imposto de 39 por cento deve aumentar quando as actuais concessões e subconcessões terminarem em 2020 e 2022. A hipótese é colocada por um estudo feito pela Macquarie Equities Research de Hong Kong.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

A fotografia do China Daily capta o momento em que o presidente chinês está rodeado de crianças. Xi Jinping participou nas comemorações do Dia Mundial das Crianças, que se comemora amanhã. Na notícia ao lado, o matutino diz que as empresas europeias planeiam investir mais na China.

 

No South China Morning Post a fotografia também é de um líder acompanhado de uma criança, mas neste caso do Chefe do Executivo, C.Y. Leung, ao lado de um jovem artista no “lançamento de uma campanha para celebrar Hong Kong”. A campanha foi lançada pelo próprio South China para assinalar o seu 110º aniversário.

 

Noutro destaque, o matutino diz que as câmaras de comércio estrangeiras “estão infelizes” com o imposto do selo, que duplicou para a compra de imóveis comerciais.

 

O Standard vira atenções para as colocações em escolas primárias. O matutino dá conta que “poucas crianças conseguiram lugar numa das primeiras três escolhas”. A taxa, sublinha o jornal, é a mais baixa dos últimos 12 anos.