Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Inundações: Chui Sai On dá instruções para resolver problema
Segunda, 27/05/2013

O Governo garante estar atento aos problemas causados pelas chuvas torrenciais que caíram este mês no território. O Chefe do Executivo assegura já ter dado instruções a vários secretários para que as inundações não se repitam.

 

Chui Sai On pediu para que os serviços sob a alçada dos dois secretários melhorem os mecanismos de emergência durante as chuvas torrenciais, desde logo no que toca à divulgação de informações à população. Mas o líder do Governo Chui Sai On quer também que se fiscalize a capacidade de absorção da rede de esgotos na Taipa e que a capacidade de absorção da rede de saneamento seja melhorada.

 

As medidas são avançadas depois de o Chefe do Executivo ter lido o relatório elaborado pelas Obras Públicas. Lau Si Io vai ter agora a tarefa de coordenar os vários serviços responsáveis pela drenagem subterrânea na Taipa, sobretudo nas zonas mais povoadas e com projectos de construção em andamento.

 

Vai ainda ser feito um estudo para aumentar a capacidade de absorção da água da chuva nas zonas mais afectadas – a prioridade vai ser dada aos locais onde a situação foi pior.

 

Em declarações reproduzidas numa nota à imprensa, Chui Sai On diz que considera importante, “na medida do possível”, apoiar as pequenas e médias empresas, bem como os estabelecimentos comerciais afectados pelas inundações. Não são fornecidos detalhes sobre o que entende o Chefe do Executivo sobre este apoio.

 

Quanto a Cheong U, o secretário responsável pela pasta da Educação entende ser importante efectuar um estudo sobre o mecanismo de previsão e alerta das informações meteorológicas. A ideia é, no futuro, emitir alertas antes das 7h, através dos media e outras redes de comunicação.

 

Chui Sai On destaca ainda que o mais importante é garantir a segurança da população durante as chuvas torrenciais. As inundações causadas pelas fortes chuvas têm gerado muitas críticas ao trabalho e à capacidade de reacção do Governo.