Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 24/05/2013

Uma grande reportagem sobre os investimentos na Ilha da Montanha no Jornal Tribuna de Macau, prioridades estratégicas de Macau no Ponto Final e uma sondagem sobre a permanência em Macau dos estudantes da China continental no Hoje são os destaques da imprensa portuguesa.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O Va Kio publica uma sondagem sobre a situação dos trabalhadores em Macau 22% dos entrevistados dizem que trabalham extraordinariamente sem receberem remuneração, 60% dizem que o rendimento de 2012 não mudou nada em comparação com o de 2011. Outra notícia refere que a Comissão Eleitoral chamou a atenção dos interessados em candidatar-se em Setembro para não se afirmarem como candidatos nem realizar campanha. 

 

O Ou Mun destaca o êxito da cooperação judicial entre Macau e Cantão num caso de apostas ilegais que envolveu um montante de 100 mil milhões de yuans. A rede cobria mais de 10 províncias e cidades da China, e estavam envolvidos mais de 100 mil jogadores. O jornal diz ainda que por causa das chuvas dos últimos dias, a qualidade dos legumes importados vai cair drasticamente e os preços vão subir.

 

Canal chinês da Rádio Macau

O Ou Mun Tin Toi refere que o primeiro-ministro chinês Li Keqiang já chegou à Suíça para fazer uma visita oficial. Outra notícia diz que o relatório da ONU diz que em relação à economia global, ainda existe risco de descida.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

O Hoje Macau escolhe a manchete “Voz Populi” para dar conta de uma recolha de assinaturas em curso contra a permanência de estudantes da China continental, em Macau, depois de terminarem os estudos. O diário cita ainda, ao cimo da primeira, o relatório da Amnistia Internacional. “Macau volta a ser lembrado, dois anos depois”. 

 

O Ponto Final destaca para a primeira uma notícia de jogo. “Sector VIP a salvo”, a propósito de declarações de Su Guojing, analista do sector que acredita que o Governo Central dirige operações especialmente contra a banca paralela secundarizando casinos e junkets. Destaque ainda, com foto, para António Rebelo de Sousa que defende Macau mais autónomo de Hong Kong. “’Macau devia ser um player financeiro’”.

 

O Jornal Tribuna de Macau entrega o destaque da edição a uma grande reportagem de Raquel Carvalho sobre os investimentos na Ilha da Montanha. “As falácias de uma Montanha” é a manchete e o título da primeira parte da história. Uma notícia no rodapé da primeira página revela que Stanley Ho lamenta o encerramento do Hospital Particular de Lisboa localizado num imóvel propriedade da Fundação homónima.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

O Business Daily destaca as conclusões de um relatório da Associação de Ciências Económicas de Macau. “Demasiadas pessoas a trabalhar seis horas por semana”. 

 

A mesma notícia surge na manchete do Macau Post Independent. “Quase 70 por cento dos trabalhadores sente ansiedade por causas laborais”. 

 

O Macau Daily Times salienta o decréscimo da indústria manufactureira na China. “Pela primeira vez em sete meses, o sector da manufactura da China contrai”. 

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa 

No Standard, a primeira é feita de publicidade, mas a notícia do dia é sobre a crise nos mercados globais. “Tempestade perfeita atinge mercados” é o título da página dois. 

 

No South China Morning Post, a quinta feira negra dos mercados aparece estampada a toda a página. A manchete é, porém outra. Refere-se a um tema de saúde: “Gripe das aves H7N9 pode transmitir-se pelo ar”. 

 

No China Daily, há uma grande foto de um encontro de altas chefias da China e da Coreia do Norte. “Pequim dá a mão a Pyongyang”, anuncia o jornal. Ao lado, “China prepara investimentos no Paquistão”.