Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 21/05/2013

O aumento nas tarifas da água e alguns casos de polícia fazem os principais destaques na imprensa local. Em Hong Kong, o encontro entre o primeiro-ministro chinês e o homólogo indiano Manmohan Singh está a dar que falar assim como o cancelamento de uma reunião do Conselho Executivo.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Ou Mun ocupa grande parte da primeira página com a detenção de um homem que terá assaltado várias casas. De acordo com as autoridades, o suspeito é da China e permanecia ilegalmente em Macau. O homem terá roubado pelo menos quatro casas na Taipa, na zona do mercado.

 

O Va Kio traz também um caso de polícia para a primeira. Dois homens foram detidos por suspeita de roubarem dinheiro através da internet. Os hackers terão conseguido entrar no sistema informático de um casino, de onde retiraram alegadamente 3 milhões de patacas.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi diz, nesta manhã informativa, que o preço da água vai subir 5,92 por cento. A subida acaba por ser suportada pela Administração que vai aumentar também o subsídio à Macao Water. O canal chinês da Rádio Macau também informa que está levantado desde as 10.15 da manhã o sinal de tempestade.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve em manchete “500 pela criminalização da violência doméstica”. De acordo com a notícia do JTM, a petição lançada na internet “já inclui assinaturas de assistentes sociais”. O destaque fotográfico tem como título “luz ao fundo do túnel para obras no centro”, em referência aos lotes vagos em frente ao Lago Nam Van.

 

“Curva apertada” é o título principal do Hoje Macau, que indica que a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego não aumenta impostos sobre automóveis porque a “população não quer”. Na primeira do jornal está o presidente do Instituto Politécnico de Macau que defende estudantes não residentes. “Mercado de trabalho precisa de pessoas qualificadas”, diz Lei Heong Iok.

 

O Ponto Final diz “pré-venda limitada a 70 por cento”. A Assembleia Legislativa vota hoje a proposta do Governo que limita a pré-venda de imóveis em construção a 70 por cento do valor da venda. “Banca paralela nos casinos” é o título do destaque fotográfico. O diário escreve que todos os dias milhares de milhões de yuan são transaccionados por agentes clandestinos do lado de lá da fronteira.  

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily destaca os aumentos nas tarifas da água com o título: “Governo premeia Macao Water com aumento modesto”. O Governo autorizou um aumento de 5,92 por cento, bem longe dos 26,2 por cento pedidos pela operadora.

 

Sobre o mesmo tema, o Macau Post escreve que a Macao Water ficou “desiludida” com a percentagem de aumento. A empresa nota que o aumento aprovado é inferior à taxa de inflação de 2012”.     

 

O Macau Daily Times faz manchete com os sistemas bancários paralelos no “triângulo China-Hong Kong e Macau” e com a unidade anti-corrupção chinesa. A fotografia remete para uma reportagem sobre o estúdio LMA que tem uma “nova estratégia para promover o cenário rock local”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post escreve em manchete que Li Keqiang apela à paz na fronteira indiana. O primeiro-ministro chinês e o homólogo Manmohan Singh vão ter novas conversações, com o objectivo de colocarem um ponto final no conflito territorial antigo.

 

O China Daily destaca o mesmo tema. O título principal é feito com uma afirmação de Li Keqiang. O primeiro-ministro chinês acredita que “China e Índia podem desenvolver confiança”. O matutino realça ainda a assinatura de protocolos entre as duas nações, nas áreas do comércio, cultura e recursos hídricos.

 

O Standard dá conta do cancelamento da reunião do Conselho Executivo. O jornal diz que CY Leung e os outros membros do órgão não conseguiram identificar nenhum assunto premente para discutirem, pelo que decidiram cancelar a reunião que estava marcada para hoje. A decisão do Conselho Executivo deixou os deputados chocados e há quem suspeite que o encontro foi adiado porque o Chefe do Executivo quer evitar assuntos sensíveis que tem estado na ordem do dia.