Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

La Scala: Chinese Estates recorre de nova decisão do Governo
Sexta, 17/05/2013

A empresa que estava a construir o empreendimento de luxo La Scala já recorreu da decisão do Governo de Macau relativa à declaração de nulidade da concessão de oito terrenos extra em frente ao Aeroporto, parcelas concedidas já em 2011. A notícia é avançada hoje pelo jornal Business Daily.

 

A Chinese Estates Holdings não se conforma com a atitude do Executivo de Chui Sai On. Depois de ter declarado a nulidade da concessão dos terrenos atribuídos ainda ao tempo do ex-secretário Ao Man Long, o Governo decidiu, no mês passado, fazer o mesmo em relação às parcelas que foram atribuídas em 2011, já durante o consulado de Lau Si Io.

 

O recurso interposto pela empresa controlada pelo magnata de Hong Kong Joseph Lau não surpreende. Questionado há algumas semanas sobre o destino a dar aos terrenos do La Scala, o secretário para os Transportes e Obras Públicas admitiu que ainda vai ser necessário algum tempo até que o assunto fique esclarecido, precisamente por causa dos processos em tribunal.

 

Neste apelo que o Tribunal de Segunda Instância tem em mãos, a Chinese Estates Holdings defende que tem direito a ficar com as oito parcelas concedidas há dois anos até ser tomada uma decisão definitiva em relação aos terrenos que foram atribuídos em 2006.

 

O dono da empresa que estava a construir o La Scala é arguido num processo conexo ao de Ao Man Long. Joseph Lau é acusado de ter subornado em 20 milhões de patacas o antigo secretário para os Transportes e Obras Públicas, uma acusação que partilha com o antigo sócio Steven Lo.

 

Os dois magnatas de Hong Kong terão recebido informação privilegiada que lhes permitiu ganharem o concurso por convite para a atribuição dos terrenos em frente ao Aeroporto Internacional de Macau.

 

O julgamento em que são arguidos os dois empresários já foi adiado várias vezes. Joseph Lau não tem comparecido no tribunal em Macau, tendo alegado doença. Há uma nova sessão de audiência agendada para o próximo dia 17 de Junho.