Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Air Macau: precisos dois anos para aterrar na Rússia e Índia
Quarta, 08/05/2013

A Air Macau precisa de pelo menos dois anos para conseguir voar para a Rússia ou para a Índia. O vice-presidente diz que os destinos estão nos planos da companhia aérea de bandeira da RAEM, no entanto, admite que primeiro é preciso adquirir aviões de maior porte.

 

“São necessários talvez dois anos, porque se queremos voar para a Rússia ou para a Índia precisamos de aviões maiores. Os aparelhos que temos, neste momento, não podem voar mais do que cinco horas”, sustentou Yang Jianhua.

 

O vice-presidente da Air Macau revelou ainda que um novo avião vai chegar ao Aeroporto Internacional já no próximo ano, embora sem especificar se o aparelho pretendido será maior do que os dois adquiridos em sistema de leasing este ano.

 

Yang Jianhua também recusou dar números concretos sobre os resultados financeiros dos primeiros três meses do ano. O responsável indicou apenas que entre Janeiro e Março de 2013, a Air Macau conseguiu melhores resultados financeiros do que em igual período de 2012. “No ano passado, os resultados foram bons, mas os do primeiro trimestre deste ano são ainda melhores”.  

 

Já em termos de passageiros, Yang Jianhua admite que a nova estirpe da gripe das aves, H7N9, afectou o desempenho da empresa, principalmente nos voos entre Macau, o Japão e Taiwan. O vice-presidente da Air Macau fala numa quebra de 5 por cento no número de passageiros oriundos destes locais.