Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 02/05/2013

As manifestações do Dia do Trabalhador são hoje o tema comum das primeiras páginas dos jornais de Macau. Na imprensa de Hong Kong, o Dia do Trabalhador também merece chamada de capa.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

A primeira página do Ou Mun é quase toda ela dedicada à Ponte Hong Kong- Macau-Zhuhai. Hoje chegam dois troços do túnel que devem começar a ser instalados já amanhã. Face à dificuldade técnica do transporte e da instalação das infra-estruturas, já foram realizados quatro simulacros. Ainda na primeira página do jornal, destaque para o 1º de Maio e o número de turistas que chegou a Macau. As autoridades contabilizaram 970 mil entradas.

 

O jornal Va Kio não chegou hoje à redacção da Rádio Macau.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Esta manhã, na Ou Mun Tin Toi, falava-se da possibilidade da visita de mais uma personalidade americana à Coreia do Norte. O antigo presidente James Earl Carter deseja visitar Pyongyang. A emissora está ainda a dar destaque a um acidente na província de Hunnan. Os cabos de uma ponte partiram-se, mas há a registar apenas dois feridos.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau (JTM) titula “Especuladores residentes na mira de Lau Si Io”. O secretário para os Transportes e Obras Públicas admite novas medidas para o sector imobiliário, depois das vendas das fracções habitacionais terem subido 92 por cento em Março, face a Fevereiro. No destaque fotográfico da edição de hoje do JTM, as manifestações do 1º de Maio. O jornal diz a este propósito que “Chuva não desafinou vozes de protesto”.

 

“Pouco formosa”, lê-se na capa do Hoje Macau. O jornal conta que a Delegação de Taiwan em Macau é acusada de explorar funcionários desde 2003: “O rol de queixas passa por falta de contratos, falta de pensão de reforma, aumentos de apenas três por cento desde a transferência de soberania e a retirada do 13º mês e subsídio de Natal”. No topo da página, em foco as manifestações do Dia do Trabalhador: “População deu cor às ruas em dia cinzento”.

 

O Ponto Final escreve em manchete: “Sete milhões por uma casa”. O preço das casas aumentou 66,1 por cento, em Março, para uma média de 88.097 patacas por metro quadrado face ao mesmo mês do ano passado. O jornal puxa ainda para tema de primeira página as manifestações de ontem, com o título “Não vamos por aí”, numa referência ao protesto da Juventude Dinâmica. A polícia quis obrigar o grupo a ir pelo passeio até ao Palácio da Praia Grande – uma ordem não acatada e que levou os manifestantes a sentarem-se no meio da rua.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

No Macau Daily Times, a manifestação da Juventude Dinâmica no 1º de Maio está em grande destaque. O jornal fala de uma juventude corajosa que fez ouvir as suas preocupações. Ainda em foco a China e as promoções profissionais que acarretam riscos para a saúde, devido aos altos níveis de poluição.

 

No Business Daily, uma das chamadas de capa vai para os protestos do 1º de Maio – um dia chuvoso que não impediu os vários grupos de saírem à rua para pedir mais habitação e também a implementação do salário mínimo. O jornal dá espaço ainda a um texto sobre os residentes que recebem o subsídio ao rendimento do Governo. O número está nos valores mais baixos desde 2008, altura em que este apoio foi criado.

 

O jornal Macau Post Daily não chegou hoje à redacção.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post (SCMP) dá hoje conta dos receios das empresas de Hong Kong depois do colapso de um edifício no Bangladesh, onde funcionavam cinco fábricas de vestuário, que provocou a morte a 400 pessoas. Há agora receios de manifestações e de greves. Em destaque fotográfico as manifestações de ontem, Dia do Trabalhador. 

 

O China Daily reproduz os avisos aos Estados Unidos para que sejam cuidadosos no que diz respeito ao conflito territorial em torno das ilhas Diaoyu. O embaixador chinês em Washington diz que as autoridades americanas “não devem dar um tiro no pé”. Em foco também o regresso da população ao trabalho depois do feriado do 1º de Maio.