Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Chui Sai On: Habitação é prioridade para o Executivo
Quinta, 25/04/2013

O Governo continua a ter a habitação como uma das grandes prioridades. A ideia foi deixada hoje pelo Chefe do Executivo, durante a sessão na Assembleia Legislativa que serviu para responder a perguntas dos deputados. Apesar dos atrasos na construção de fracções públicas, a Administração continua a ter um calendário, diz Chui Sai On, mas há matérias que ainda precisam de ser estudadas.

 

Chui Sai On tem dúvidas que o conceito “terrenos de Macau para os residentes de Macau” surta efeitos positivos para um mercado imobiliário que considera frágil. “O conceito é novo”, argumenta.

 

Em resposta aos deputados que entendem que nos novos aterros só deve haver espaço para quem é de cá, o Chefe do Executivo reconhece que uma medida do género pode atenuar o preço do imobiliário, mas entende que também traz desvantagens. “Quanto aos contras, esta política provavelmente vai reduzir a competitividade e, num outro nível, para a classe média, provavelmente pode ajudar. Mas será que isto vai significar um certo prejuízo para a camada de base?”, lançou.

 

A dúvida leva Chui Sai On a pensar que, antes de se tomarem decisões, é preciso estudar o assunto. Nos novos aterros deve haver espaço para cerca de 40 mil novas fracções.

 

Ng Kuok Cheong quis saber se os terrenos onde estava a ser construído o empreendimento de luxo La Scala podem ser aproveitados para habitação pública. O Chefe do Executivo diz que se trata de um processo que ainda demora a ficar concluído, pelo que não está em condições de dar uma resposta sobre a finalidade das parcelas que o Governo decidiu reaver na sequência do processo Ao Man Long.

 

Quanto à habitação pública, Chui afasta problemas de comunicação com Lau Si Io, o secretário para os Transportes e Obras Públicas, e recordou que no próximo mês é aberto um novo concurso. Apesar dos atrasos, o Governo continua a ter um calendário, garante, deixando um pedido de desculpa em nome da Administração.

 

“O Governo tem de assumir as críticas e aceitar as críticas, e através de intercâmbios e de troca de opiniões vamos tentar fazer o melhor possível”, declarou. “O trabalho e o rumo do trabalho não sofreram alterações. Continuamos a zelar por esta política de habitação para todos.”

 

Chui Sai On disse também estar atento aos problemas da população e reiterou um conselho: antes de pensarem em comprar casa, os residentes devem reflectir se têm capacidade para suportar o investimento.