Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Estudo: desigualdade social aumenta em Macau
Segunda, 22/04/2013

A desigualdade social entre os ricos e os pobres de Macau ampliou nos últimos anos. Os resultados de um estudo da Associação de Economia alertam para um fosso cada vez maior entre os rendimentos das classes alta e baixa.

 

Os dados não oficiais, apresentados ontem, indicam que a diferença de rendimentos entre os mais ricos e os mais pobres é de 9,3 vezes. Em 2007/2008, altura em que foram divulgados os últimos dados apurados pela Administração, a desigualdade de rendimentos entre ricos e pobres era de 8,17 vezes.

 

O nível de desigualdade social detectado está mesmo “próximo de um sinal de alarme”, diz o estudo, que apura que o coeficiente de Gini – um dos principais indicadores da desigualdade social – é de 0.4 em Macau. Ainda assim, conclui a associação, um coeficiente “melhor” do que o de Hong Kong, da China ou de Singapura, onde está acima desse número.   

 

Face ao aumento do coeficiente de Gini de 0.38 em 2007/2008 para 0.4 no final do ano passado, o autor do estudo da Associação de Economia deixa algumas recomendações ao Governo. Joey Lao sugere, para que seja reduzido o fosso entre os ricos e os pobres, que a Administração melhore os salários de quem ganha menos. Além disso, é necessário ainda o aumento das oportunidades de progressão na carreira e a abertura de mais listas para a habitação pública.