Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Delegados de Macau à APN analisam planos do Governo Central
Quarta, 06/03/2013

Foi o apoio aos mais pobres, sobretudo das zonas rurais, que os 12 delegados de Macau à Assembleia Popular Nacional (APN) destacaram do discurso de ontem do primeiro-ministro, Wen Jiabao. Os representantes da RAEM salientam as medidas a pensar nas crianças, que precisam de um melhor sistema de educação para conseguirem ir mais longe.

 

Para o delegado Io Hong Meng, que representa a Associação Geral de Moradores, é nas zonas rurais que está a fonte de maior desigualdade na China.

 

Lei Pui Lam concorda e, por isso, o também delegado e presidente da Associação de Educadores Chineses de Macau defende que a aposta deve ser na educação dos filhos dos actuais agricultores. Só assim, defende, vão ter a oportunidade de chegar mais longe.

 

Numa reunião que durou pouco mais de duas horas, os 12 delegados à APN concordaram que os últimos cinco anos de governação tiveram bons resultados e que a proposta de orçamento para este ano aponta no caminho certo. Para a educação está previsto um aumento de mais nove por cento, sendo que se prevê que o dinheiro investido na agricultura seja reforçado em 13 por cento.

 

O Governo Central prevê também a atribuição de mais subsídios. As pensões para os reformados deverão sofrer aumentos de 10 por cento e o novo sistema de saúde cooperativo nas zonas rurais vai ser objecto de um reforço.

 

Estas medidas constam de um plano que os 12 delegados de Macau à Assembleia Popular Nacional estão prontos para aprovar. Para já, está marcada para amanhã de manhã, às 9h, uma sessão plenária para analisar a proposta de orçamento divulgada ontem.