Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Grupo com salários entre 20 mil e 40 mil patacas menos feliz
Terça, 29/01/2013

Uma sondagem conjunta da Universidade de Fuzhou e da Aliança de Pessoas que Constroem Macau revela que o índice de felicidade dos residentes é de 57 numa escala de zero a 100. Mas o estudo mostra também que os residentes de Macau com salários entre as 20 mil e as 40 mil patacas – apelidados, por vezes, de “classe sanduíche” – têm níveis de felicidade inferiores aos das pessoas com salários que variam entre as 14 mil e as 20 mil patacas mensais.

 

Um dos académicos envolvidos no estudo, Niu Kang, da Universidade de Fuzhou, explica que o cenário pode estar relacionado com o facto de as famílias de menores rendimentos receberem mais apoios do Governo, enquanto aquelas com melhores salários podem ter de enfrentar sozinhas certo tipo de problemas, como o aumento do custo de vida, a pressão no local de trabalho ou a incapacidade de comprar um apartamento.

 

De um modo geral, a maioria dos residentes de Macau analisados no estudo mostra-se satisfeito com as relações que tem com a família e os amigos, e, também, com a própria saúde. Em sentido inverso, o que mais insatisfaz os residentes da RAEM é a desigualdade social, o desempenho do Governo e o nível de vida.

 

O estudo aponta ainda diferenças geográficas no grau de satisfação com a vida: quem mora na zona sul da península de Macau e na Taipa tem tendência a sentir-se mais feliz.

 

O inquérito teve por base mais de 1100 respostas válidas e foi conduzido entre Julho e Setembro do ano passado. Os resultados só agora foram apresentados à comunicação social.