Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Leite em pó: Residentes vão poder comprar a fornecedores
Sexta, 25/01/2013

O Governo criou um programa no qual os residentes de Macau podem registar-se para adquirir leite em pó para bebés directamente aos fornecedores. A iniciativa foi apresentada esta tarde depois de ter sido decidida numa reunião presidida por Chui Sai On, na qual a questão da falta do leite em pó foi classificada como um “incidente de saúde pública”.

 

A medida agora apresentada tem carácter provisório e o Governo acredita que vai garantir leite em pó aos residentes de Macau.

 

Numa conferência de imprensa com responsáveis dos Serviços de Saúde e do Conselho dos Consumidores, foi explicado que os residentes podem adquirir leite em pó directamente a sete marcas-fornecedoras, evitando assim as filas na farmácia, onde o produto tem escasseado.

 

Para participar no programa, os pais interessados têm de inscrever-se, o que pode ser feito em seis centros de saúde, desde que a criança seja residente de Macau.

 

Aos fornecedores que o Governo conseguiu que fizessem parte do programa, os pais vão poder comprar até cinco latas por mês, a quantidade que assegura as doses necessárias para 31 dias.

 

De acordo com os Serviços de Saúde, há neste momento sete mil bebés elegíveis para participar neste programa, ou seja, com idades até um ano e que são residentes de Macau.

 

A Administração salienta que, neste processo, actua como facilitador e, por isso, a forma como o produto vai chegar às crianças vai depender do que ficar acordado entre os compradores e os fornecedores.

 

Há vários dias que tem havido falta de leite em pó em Macau. A situação que se verifica em várias farmácias explica-se pela forte procura por parte de visitantes da China, que receiam comprar leite em pó no continente, devido aos vários escândalos alimentares.

 

Numa reunião realizada esta sexta-feira em que o Chefe do Executivo ficou a conhecer relatórios de vários departamentos do Governo, “concluiu-se que a situação está afectar a saúde dos bebés de Macau”, e por isso foi classificada como “um incidente no âmbito da saúde pública”.

 

Um comunicado do gabinete do porta-voz do Executivo refere que Chui Sai On está empenhado em “garantir que os residentes de Macau tenham prioridade na compra de leite em pó para que o crescimento de bebés de não seja afectado”.

 

O Chefe do Exevcutivo garante ainda que “há vários serviços a acompanhar de perto a situação de oferta e procura de leite em pó, e também em contacto com os fornecedores e vendedores a retalho, para garantir estabilidade na oferta”. Será, ainda, reforçada a fiscalização, também por parte dos Serviços de Alfandega, que prometem mais atenção às saídas de Macau.