Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 24/01/2013

O trânsito é um dos temas em destaque na imprensa de Macau desta quinta-feira. Em causa estão assuntos como a licença dos táxis amarelos ou o projecto do centro de informação de segurança rodoviária.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio noticia hoje o caso de um homem, desempregado, que foi detido pela polícia depois de ter tentado agredir um agente e fugir a uma operação stop. As autoridades acabaram por concluir que o homem tinha, alegadamente, roubado uma mota. O caso foi enviado para o Ministério Público. Ainda a propósito de criminalidade, o jornal relata a história de duas pessoas detidas por suspeita de falsificação de documentos de Macau – o objectivo, escreve o jornal, era poder procurar emprego e pedir empréstimos nos casinos da RAEM. Destaque ainda, no Va Kio, para a detenção de dois indivíduos suspeitos de consumo e tráfico de droga, num hotel da Taipa. A saúde é outro dos temas em foco na primeira página do Va Kio desta quinta-feira: os médicos de Macau entendem que os bebés não têm necessidade de consumir uma única marca de leite em pó e que a mudança de marca não afecta a saúde das crianças.

 

No jornal Ou Mun, destaque para a decisão do Tribunal de Segunda Instância, que indeferiu a acção movida pela Companhia de Rádio Táxis Vang Iek, a propósito da renovação do contrato de concessão da licença especial de táxis. A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego diz estar a acompanhar a renovação do contrato de curto prazo com a companhia que gere os táxis amarelos. O Ou Mun destaca também o caso do homem suspeito de ter roubado uma mota e agredir a polícia. Ainda na primeira página do Ou Mun está uma chamada de atenção para a construção da faixa de rodagem e do sistema de drenagem na Avenida dos Jogos da Ásia Oriental.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

 

O Canal Chinês da Rádio Macau noticia esta manhã um aviso dos Serviços de Correios de Macau: as tempestades de neve na Europa estão a atrasar o envio de correspondência para o Reino Unido. A Ou Mun Tin Toi conta ainda que, em Março, vai estar concluída a construção da zona de passeio com instalacões para animais de estimação, junto à Estação de Tratamento de Águas Residuais.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Segurança excepcional”, lê-se na manchete do Ponto Final. Os deputados levantaram a hipótese da ilegalidade no controlo extraordinário da qualidade dos alimentos decidido pelo Chefe do Executivo, em casos de “grande incidente de segurança alimentar”. Os analistas ouvidos pelo diário dividem-se quanto à questão. Também na primeira página do jornal, destaque para o título “crime, consultas e contradições”. O Instituto de Acção Social garante que cumpriu as normas das consultas públicas no caso da futura lei sobre a violência doméstica. É a reação do organismo ao facto de ter, alegadamente, indicado que a Associação dos Advogados de Macau e a Polícia Judiciária seriam contra a classificação desse crime como crime público – o que não corresponde à verdade.

 

O Hoje Macau fala em “lusos ao fundo do túnel”, já que “o Governo pode obter lucros com a quebra dos juros da dívida portuguesa para seis por cento”. A análise é do director-geral do Millennium BCP em Macau, José Pãozinho, que fala na possibilidade de ganhos de capital na ordem dos 50 por cento para a RAEM. O diário acrescenta que “todos podem ficar a ganhar”, referindo-se a Macau e a Portugal. Ainda na primeira página do Hoje Macau, destaque para a segurança rodoviária: “Centro de informação ainda pode ir para perto do mangal.” O esclarecimento foi feito ao jornal pela Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, que indica que a decisão final “ainda está em aberto”.

 

O Jornal Tribuna de Macau revela hoje dados da Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ), referentes aos meses de Novembro e Dezembro do ano passado: “30 estão impedidos de entrar nos casinos a pedido dos próprios ou da família.” São estatísticas relativas aos primeiros dois meses de entrada em vigor da nova lei de condicionamento da entrada, do trabalho e do jogo nos casinos. O diário destaca também o trânsito, nesta edição de quinta-feira: “Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego poderá admitir mais companhias de táxi.” O JTM adianta que está a ser “estudada a emissão de novas licenças especiais”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily escreve, em manchete, que “os preços elevados dos hotéis estão a assustar o retorno dos turistas”. A opinião é de um académico da área do turismo na Universidade Cidade de Macau, Gao Yan, que acredita que os serviços hoteleiros não melhoraram de qualidade a par do aumento dos preços. Outro tema a merecer destaque esta quinta-feira no diário económico é a “quebra nos empréstimos à habitação”, numa altura em que “os não residentes estão afastados” do mercado, depois da entrada em vigor das novas medidas para regular o sector imobiliário.

 

O Macau Post Daily conta que o Governo decidiu conceder aos chamados táxis amarelos “mais uma ‘breve’ extensão da licença”. O diário cita um porta-voz da Direcção de Serviços para os Assuntos de Tráfego, que explica que a companhia de táxis Vang Iek vai ver renovada a licença por um breve período de tempo, quando a actual extensão de 18 meses caducar em Fevereiro. O jornal dá ainda conta da sentença do caso do condutor de uma camião envolvido na morte de um jornalista, quando este atravessava a passadeira, em 2011 – o suspeito era acusado de homicídio por negligência, mas acabou por ser condenado a um ano de pena de prisão suspensa por dois anos por ofensa física por negligência.

 

No Macau Daily Times lê-se que, “alegadamente, as operadoras de jogo partilham uma ‘lista negra’ de trabalhadores”. Em causa está uma petição entregue ao Chefe do Executivo pelo activista Lee Kin Yun e um grupo de cidadãos, que pedem a Fernando Chui Sai On que proteja a segurança laboral dos trabalhadores de Macau e que obrigue os casinos a pararem de violar a lei de protecção de dados pessoais. O diário faz ainda as contas ao número de turistas que visitaram Macau em Dezembro: o número de visitantes caiu dois por cento, em relação ao mesmo mês de 2011, e “há menos visitantes de Hong Kong e Taiwan”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O sistema legal da common law, em vigor em Hong Kong, deve ser preservado, defende o chefe dos juízes, Geoffrey Ma, citado pelo South China Morning Post. Segundo o diário, o magistrado entende que o sistema deve continuar a vigorar depois de 2047 e avisa que não se podem repetir casos como o de 1999, em que o Tribunal de Último Recurso tomou uma decisão em matéria de migração, que acabou por ser cancelada, depois de o Governo de Hong Kong ter solicitado a Pequim uma interpretação da Lei Básica. Ainda no South China Morning Post, destaque para a banca: “o Banco de Desenvolvimento da China tem um novo chefe em Hong Kong”, depois da investigação que envolve a seguradora Ping An.

 

No China Daily lê-se que “Xi Jinping apela a que se retomem as conversações na península” coreana. Palavras do vice-presidente chinês que surgem numa altura em que o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou, por unanimidade, uma resolução a condenar o lançamento de um míssil por parte do regime de Pyongyang. O diário oficial chinês destaca ainda o “alerta” a propósito da economia mundial – um aviso que parte do Fundo Monetário Internacional, que entende que pouco mudou na estrutura financeira mundial, desde que a crise começou, há cinco anos.

 

O Standard faz manchete com o “maior caso de branqueamento de capitais”, que “põe a descoberto lacunas nos bancos”. Em causa está a detenção de um jovem, oriundo da China interior, condenado por ter lavado 13 mil milhões de dólares de Hong Kong. Ainda na primeira página do Standard, destaque para a China Vanke – “um gigante” que se estreia no mercado imobiliário de Hong Kong.