Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Senna Fernandes: Mais qualidade, os mesmos turistas
Terça, 15/01/2013

Macau poderá receber mais turistas quando tiver novas infra-estruturas mas, para já, deverá contar com o mesmo número de visitantes, apontou hoje Helena Senna Fernandes, directora dos Serviços de Turismo. A instabilidade do mercado internacional faz com, em 2013, o número de turistas não deva ir muito mais além dos 28 milhões, número registado no ano passado.

 

Para Senna Fernandes, este ano a grande prioridade é a qualidade. A directora quer fazer uma avaliação geral do turismo na cidade, um balanço necessário para depois se definir um plano a longo prazo.

 

“Vamos ter de fazer um balanço dos resultados de todas as pesquisas e estudos que estão já feitos. No ano passado, encomendámos um estudo da PATA e, além disso, há outras entidades que já encomendaram muitos estudos”, contextualizou. “Temos de ver quais são os resultados desses estudos, fazer um balanço e definir em que termos temos de fazer um estudo geral do turismo. Não fazemos estudos só por fazer – temos de ser muito objectivos quando encomendamos um novo estudo.”

 

Helena Senna Fernandes falava hoje à margem da conferência de imprensa anual dos Serviços de Turismo, um momento que serviu para anunciar as linhas-mestras do trabalho a ser feito durante este ano. Entre as prioridades está o envolvimento da comunidade – a directora reconhece que os turistas nem sempre são bem-vindos numa cidade onde falta espaço.

 

“Neste momento há uma concentração muito grande em alguns locais. Quando vemos a área das ruínas de São Paulo até ao Senado, há sempre muitas pessoas, mas só que a rua ao lado tem muito pouca gente. Como é que podemos desviar pessoas para outros lugares? Esse é realmente o trabalho para este ano”, explicou.

 

O trabalho consiste em procurar alternativas – as ilhas são uma hipótese e a zona norte da península também – que permitam a dinamização das zonas menos desenvolvidas. A directora do Turismo quer também em cada residente um embaixador da cidade, que ofereça um sorriso aos turistas. São desejos que se enquadram na procura de um serviço com mais qualidade.

 

“Não podemos estar sempre a procurar ter mais turistas em Macau, porque temos de aumentar a qualidade do serviço e ao mesmo tempo atrair turistas que contribuam mais para Macau”, defendeu.

 

Macau ocupa o segundo lugar dos destinos asiáticos com mais receitas provenientes do turismo – em 2012 foram arrecadadas receitas no valor de 28 mil milhões de dólares norte-americanos.

 

Ainda na lógica da elevação da qualidade, os Serviços de Turismo vão apostar na formação profissional para os operadores do sector e na cooperação com associações locais interessadas em contribuir para a indústria que, a seguir ao jogo, é a mais importante para o território.

 

Durante a conferência de imprensa, Helena Senna Fernandes sustentou ainda a necessidade de se fazerem mais espectáculos relacionados com a comunidade lusófona. A presença da língua portuguesa “não pode ser feita só na Festa da Lusofonia”, defende a directora, que quer desenvolver o turismo cultural e ver um maior envolvimento de residentes e turistas em actividades das comunidades que falam português.