Em destaque

20 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2173 patacas e 1.1350 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 14/01/2013

A compra da CTM pela CITIC é um dos temas em destaque na imprensa local. Em Hong Kong, a actualidade fica marcada pelo debate em torno de uma proposta de lei contra a discriminação de pessoas devido à sua orientação sexual.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Ou Mun destaca hoje a grande pressão financeira que recai sobre a construção de novas instalações no posto fronteiriço de Zhuhai. O diário diz que Lao Ngai Leong, inspector encarregue da supervisão do local, e também delegado de Macau na Assembleia Popular Nacional, promete conduzir estudos para garantir o apoio adequado à RAEM. Ainda no Ou Mun desta segunda-feira, destaque para as motas incendiadas na Rua da Aleluia, no bairro de São Lourenço. O jornal descreve que o fogo bloqueou a porta do edifício e os moradores gritaram por socorro. Ainda sobre este tema, o Ou Mun diz que os residentes querem que o Governo instale mais sistemas de videovigilância para impedir casos do género no futuro.

 

O assunto merece também destaque na edição de hoje do Va Kio, que escreve que a Polícia Judiciária (PJ) classificou o caso como crime de fogo posto. Noutra chamada de primeira página, o diário conta que a Associação de Amizade dos Moradores da Zona de Nordeste de Macau entregou algumas sugestões sobre a construção de uma via entre a Estrada da Bela Vista e a Avenida de Venceslau de Morais. O Va Kio escreve também que, “nos últimos dias, houve uma ligeira subida do número de pessoas que recorreram às urgências do Hospital Kiang Wu devido às baixas temperaturas” e que seis indivíduos do Interior da China foram detidos pela PJ por suspeita dos crimes de extorsão e sequestro.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

 

O Canal Chinês da Rádio Macau destaca, esta manhã, uma interpelação escrita de Chan Meng Kam ao Governo. O deputado pede explicações sobre a atribuição de verbas mediante os dias de permanência das “Contas individuais de previdência”.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Pela mão de O Lam” é a manchete do Hoje Macau. O jornal conta que o deputado Pereira Coutinho acusa o gabinete de Fernando Chui Sai On de ser responsável pelo fim do programa Fórum Macau da TDM, em chinês. O Lam é assessora e secretária-geral do Conselho Executivo, e, segundo Coutinho, terá dado instruções à directora de informação do canal chinês. O Hoje Macau destaca ainda Pan Nga Koi – “Imprensa de Hong Kong fala em ‘fundo financeiro’ para negócio nos casinos.”

 

No Jornal Tribuna de Macau, o tema principal é a entrevista ao presidente da Associação dos Assistentes Sociais. Andrew Ng considera que os subsídios distorcem a mentalidade e os valores dos jovens e, quanto ao debate em torno da violência doméstica, entende que devia ser crime público. Ainda na primeira página, o JTM noticia que a “CITIC Telecom comprou a CTM à PT e à Cable&Wireless por 1200 milhões de dólares americanos”.

 

A manchete do Ponto Final vai para um “novo alerta pelo mangal”. O diário explica que “é o segundo projecto do Governo para o mangal de garças selvagens da Taipa a encontrar contestação” e que “a Associação de Ecologia de Macau vai lançar uma nova campanha na internet”. Ainda no Ponto Final, a entrevista a Juliana Devoy, do Centro Bom Pastor: “Mais valia não apresentar a lei”, desabafa a mulher que há mais de duas décadas lida com a violência doméstica em Macau.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily confirma qual é a empresa, ligada ao sector do jogo, que está a ser investigada em Taiwan: é uma subsidiária da Melco Crown, suspeita de fazer transferências ilícitas de dinheiro dos jogadores, entre a Formosa e Macau. A identificação foi avançada pela GamingCompliance.com e confirmada agora por fontes do jornal. Destaque, ainda hoje, para o novo investimento da CITIC na CTM.

 

O negócio é, de resto, o tema que dita a manchete do Macau Post Daily: “CITIC Telecom consegue aumentar participação que tem na CTM dos 20 para os 99 por cento.” O jornal acrescenta que “a CWC e a PT vendem todas as acções por nove mil milhões de dólares de Hong Kong”. Noutro destaque, o jornal aborda a situação na Síria e escreve que a “Rússia diz que é ‘impossível’ remover Assad do poder”.

 

A TDM faz a manchete do Macau Daily Times, que dá conta do protesto de ontem à porta das instalações da emissora televisiva: “Manifestantes pedem à TDM que retome o talk show” – uma referência ao programa Fórum Macau. Ainda na primeira página, destaque no diário para Pequim e a poluição do ar, “que dispara e atinge níveis perigosos”. O jornal chama ainda a atenção para o negócio da CITIC.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Na primeira página do South China Morning Post vê-se uma imagem da manifestação de ontem em Hong Kong: “Cristãos em protesto contra a proposta de lei gay”, que visa proibir a discriminação com base em orientações sexuais. Os manifestantes, oriundos de vários grupos religiosos, argumentam que a sua liberdade de expressão fica ameaçada com o diploma. Ainda neste jornal, a notícia de que os solicitadores vão poder representar clientes no Tribunal Superior, a partir de Abril – uma nova regra que, segundo o diário, “significa grandes poupanças para clientes que, normalmente, têm de contratar advogados”.

 

No China Daily, fala-se num “debate saudável sobre o ar”. O diário oficial chinês escreve que “os níveis recorde de poluição atingem os transportes, numa altura em que se assiste a uma corrida às máscaras”. Ainda no China Daily, destaque para o facto de a China ter sido, no ano passado, um dos maiores fornecedores de produtos de alta tecnologia para a Holanda, ficando acima dos Estados Unidos e da Alemanha.

 

No Standard, lê-se na manchete “conversações do mesmo sexo”. Uma referência à manifestação de ontem em Hong Kong, em que milhares de cristãos protestaram contra uma proposta de lei que visa proibir a discriminação de homossexuais. O diário lembra que o “assunto sensível” deve ser abordado por CY Leung esta semana, na apresentação das Linhas de Acção Governativa.