Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Macau é sétima economia mais livre da Ásia-Pacífico
Quinta, 10/01/2013

Das 41 economias da região Ásia-Pacífico, Macau situa-se no 7º lugar das economias mais livres, a seguir a Hong Kong, Singapura, Austrália, Nova Zelândia e Taiwan, China e Japão.

 

De acordo com o relatório relativo ao “Índice de Liberdade Económica” para o ano de 2013, da Heritage Foundation, a classificação geral de Macau é superior ao nível médio em termos mundiais e regionais: uma região “de liberdade relativa”.

 

Segundo as conclusões do relatório, divulgadas pela Autoridade Monetária, Macau obteve uma avaliação geral de 71,7 pontos, ocupando o 26º lugar em relação aos 177 sistemas económicos globais classificados.

 

No ano passado, Macau classificou-se como a 5.ª economia mais livre de 43 regiões da Ásia-Pacífico, e em 19.º lugar em relação ao resto do mundo. Em 2011, Macau atingiu uma pontuação de 73,1.

 

Para este ano, com base em 10 indicadores, os “rankings” mais elevados para o território estão nos níveis de liberdade em termos de despesas do governo, os de comércio, também em termos de investimento e monetários, e o nível de liberdade ao nível financeiro.

 

De acordo com o relatório, a flexibilidade e a abertura ao comércio e ao investimento externos servem de base para o desenvolvimento activo ao nível económico.

 

O ambiente geral de comércio livre de obstáculos deveu-se à salvaguarda por parte de Macau de um sistema económico de mercado livre e à transparência.

 

A “Heritage Foundation” considera ainda que o grau mais elevado de liberdade económica está ligado não só aos rendimentos per capita, mas também contribui para o desenvolvimento económico e social.

 

O documento atesta, ainda, que Macau respeita as regras de direito e mantém taxas fiscais competitivamente baixas, que há barreiras alfandegárias e não-alfandegárias, podendo os investidores estrangeiros exercer negócios nos mesmos termos que os residentes.