Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 10/01/2013

A concessão de um novo terreno à MGM está a marcar a actualidade informativa local. Alguns matutinos optam, no entanto, por fazer manchete com a iniciativa do Governo de apresentar uma proposta para a criação de um salário mínimo. Em Hong Kong, os diários destacam o chumbo à moção de censura movida contra C.Y. Leung.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

A manchete do Hoje Macau diz “passo em frente” sobre a decisão do Governo de avançar com proposta de lei do salário mínimo. O jornal sublinha “a Concertação Social tem destas coisas”, porque o Governo toma a iniciativa “depois de muitas reuniões, muitas delas sem qualquer consenso entre as partes laboral e patronal”. Noutras chamadas de primeira lê-se “mais jogo no COTAI – Executivo dá luz verde à MGM” e “CAM devolve terrenos ao Governo, diz deputado”.

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve no título principal que “Angela Leong promete aumento satisfatório de remunerações”. O gabinete da directora executiva da SJM disse ao JTM tratar-se de “uma decisão conjunta dos accionistas”. No destaque fotográfico o diário diz “salário mínimo com proposta até Junho”. Na coluna, destaque para o Governo chinês que “pode permitir privados nas redes móveis de telecomunicações”. Ainda sobre a China, o JTM realça o director do Beijing Times que recusou editorial do PCC e renunciou ao cargo.

 

“Petição contra censura” é a manchete do Ponto Final sobre a iniciativa da Associação Novo Macau de enviar petições aos delegados de Macau à Assembleia Popular Nacional. Em causa está a situação dos repórteres do Southern Weekly, de Cantão, que se revoltaram contra a censura. Noutro título o jornal escreve “salário mínimo ao fundo do túnel” – o valor só “será definido após o resultado de um estudo encomendado à Universidade de Macau”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily diz em manchete que “MGM China ganha aprovação do Governo para o COTAI”. O económico sublinha que a MGM “surpreendeu”, assim, o mercado, ontem, no mesmo dia em que o secretário para a Economia e Finanças “sugeriu que pode haver alguma flexibilidade” no limite para o crescimento do número de mesas de jogo. Numa chamada de primeira página, o diário diz ainda que as medidas do Governo para o mercado imobiliário “abrandaram” a velocidade de aumento dos preços das casas mas “não impediram” um novo recorde no último trimestre.

 

O Macau Post Daily também destaca a concessão de um terreno no COTAI à MGM. A operadora tem de pagar um prémio pelo terreno de 1,29 mil milhões de patacas. No local, a empresa planeia construir um novo resort, com casino e hotel. Num outro título, o jornal escreve que “grupo insta Governo a resolver o aumento dos preços da comida”.

 

O Macau Daily Times faz manchete com o caso de alegada censura no Southern Weekly, de Cantão, lendo-se: “acordo acaba com impasse no caso chinês de censura”. A fotografia faz referência a milhares de filipinos que “encheram a capital para procissão católica”. O matutino destaca ainda as exigências de algumas associações que querem ver os preços dos produtos alimentares baixarem entre 20 a 30 por cento.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No South China Morning Post, o destaque vai para o chumbo da moção de censura contra CY Leung. Os pró-democratas falharam na tentativa de destituição do Chefe do Executivo, depois de oito horas de debate no Conselho Legislativo. O título da coluna diz que chefe do China Develepoment Bank foi “suspenso depois do acordo para a Ping An”. Liu Hao foi suspenso do banco em Hong Kong depois de uma reviravolta na tentativa de um consórcio tailandês de comprar a segunda maior seguradora da China.

 

O Standard também realça o chumbo da moção de censura contra o Chefe do Executivo, com o título “C.Y sobrevive”. Trinta e dois deputados opuseram-se à censura movida por Leung Kwok-hung, conhecido como “Long Hair”, e apenas nove votaram a favor.

 

O China Daily coloca em grande plano os protestos em Hong Kong de apoio a C.Y. Leung, enquanto era votada a moção de censura. Ainda em foco na primeira estão as punições no partido comunista, com o título “campanha anti-corrupção tem gerado progressos”.