Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 09/01/2013

Os jornais de Macau colocam em destaque um estudo sobre a situação dos homossexuais no território. Alguns matutinos também fazem manchete com o debate na Assembleia Legislativa. Em Hong Kong, os diários continuam a acompanhar as consequências das tensões entre Pequim e Tóquio por causa da soberania das Ilhas Diaoyu. 

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Ponto Final escreve em manchete “homossexuais vivem na sombra”, a propósito de um estudo que revela que os “homossexuais, bissexuais e transexuais receiam, acima de tudo, não serem aceites pela família”. Ainda em destaque na primeira estão as manifestações em Cantão com o título “em nome da liberdade”. Os protestos decorreram em frente às instalações do semanário Southern Weekly, com activistas e jornalistas acusarem as autoridades de Cantão de censura. 

 

O título princípal do Hoje Macau diz “Governo mudo”. O jornal destaca as queixas dos deputados sobre a falta de diálogo com a Administração. Na ausência da secretária Florinda Chan, o director dos Serviços de Administração e Função Pública prometeu "encurtar as distâncias" entre o Governo e os deputados. O matutino publica uma fotografia de Rui Cardoso. A saída do técnico do Benfica de Macau é confirmada pelo director desportivo do clube, Duarte Alves.

 

O Jornal Tribuna de Macau realça que as “vendas de Portugal a Macau aumentam 33 por cento” e Rita Santos, do Fórum Macau, salienta que “há margem de progressão”. Ainda assim, diz o JTM que o valor das importações a Portugal significa apenas 0,3 por cento do total das importações que Macau faz ao exterior. Na primeira página também é dado grande destaque a António Trindade que afirma que destaca o “verdadeiro papel de plataforma” do 2º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa. O jornal escreve ainda a propósito que o “congresso lusófono na RAEM abre portas a mais parcerias no campo da engenharia”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily refere que “mais gastam menos em investimentos na China”. Apesar de mais empresas de Macau estarem envolvidas em projectos na China, o jornal salienta que os investimentos são mais baixos. Na primeira, ainda espaço para uma notícia sobre os aumentos da carne de vaca. O económico também dá conta que a revisão da lei de combate aos crimes de lavagem de dinheiro deve ser feita só depois de 2014. 

 

No Macau Post Daily lê-se em manchete que “trabalhadores dos casinos propõem fundo para fumadores passivos”. Uma associação entregou ontem aos Serviços de Saúde uma carta com alguns pedidos, entre eles a de um fundo, supervisionado pelo Governo, para assistência a trabalhadores que fiquem doentes devido à exposição ao fumo nos casinos. O director dos Serviços de Administração e Função Pública também está em destaque, por ter prometido que “o Governo vai tentar responder mais depressas às interpelações apresentadas pelos deputados”. 

 

Na primeira do Macau Daily Times, o destaque vai para um estudo sobre a situação dos homossexuais no território. A manchete diz: “activistas pedem integração dos homossexuais na sociedade”. Ainda em foco está a visita do director da Google à Coreia do Norte, que “deu uma vista de olhos” ao país “utilizando a Internet”. O jornal sublinha ainda que os subsídios da função pública vão aumentar. 

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca o plano do Japão de “investir mil milhões de dólares norte-americanos” para aumentar a sua defesa, por causa da China. Ainda as consequências das divisões entre os dois países devido à soberania das Ilhas Diaoyu ou Senkaku. O diário destaca ainda a “oferta tailandesa para compra da seguradora Ping An em perigo”, acrescentando que os reguladores chineses devem rejeitar a proposta que chega quase aos 9,5 mil milhões de dólares norte-americanos.  

 

As relações sino-japonesas ocupam também a primeira página do China Daily. O matutino diz que “Pequim rejeita protesto de Tóquio” sobre navios-patrulha nas Diaoyu. O Governo nipónico disse ao embaixador chinês no Japão não querer barcos chineses perto das ilhas que os dois países reclamam. Mas o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês já veio dizer que as patrulhas com os navios fazem parte de missões periódicas. Em foco na edição de hoje, está ainda o alerta da agência Fitch sobre o modelo de crescimento da China. 

 

O Standard diz que “criança envolvida em enredo bizarro sobre ADN”. Um homem é acusado de rapto de uma criança do hospital, supostamente numa tentativa de provar à namorada que os filhos da sua esposa não eram dele. O homem terá então raptado uma criança, retirado uma amostra de saliva e depois abandonado a menina de dois anos na rua.