Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 08/01/2013

Os jornais de Macau dividem atenções entre o adiamento do julgamento do La Scala e as declarações sobre a habitação do secretário Lau Si Io, que respondeu ontem a interpelações orais na Assembleia Legislativa. Em Hong Kong, os matutinos dão ênfase à decisão de Pequim de acabar com os campos de trabalho.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

A manchete do Hoje Macau diz “terras sem especulação” - os deputados “pedem seriedade para a habitação pública dos novos aterros”. Apesar do “rumo não estar ainda traçado”, o secretário para os Transportes e Obras Públicas assegurou que vai ser dada “prioridade” à contratação de uma entidade para fazer o estudo da habitação, assim como à definição de um calendário. Noutro tema de primeira página lê-se julgamento do La Scala “adiado e CCAC ainda a investigar”. Noutra chamada de capa, o diário escreve que “Macau prepara lei de acordo com sanções da ONU para congelamento de bens”.

 

No Ponto final há “cadernos sob suspeita”, em referência ao julgamento do La Scala. Os advogados de Joseph Lau e de Steven Lo “deixam pistas” sobre a estratégia de defesa no quarto processo conexo ao caso Ao Man Long: querem ver os Cadernos da Amizade - na posse do Comissariado contra a Corrupção – para terem a certeza dos alegados subornos anotados pelo ex-secretário. O destaque fotográfico, com o título “terreno movediço” é feito com Lau Si Io que respondeu ontem às interpelações orais de alguns deputados. O jornal também sublinha que o secretário define como “prioridade” o estudo da reserva de terrenos só para residentes.

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve Lao Si Io rejeita “copiar” Hong Kong no modelo de casas para residentes. Governo vai encomendar estudo a instituição académica de ensino superior sobre o conceito “terras de Macau destinadas a residentes”. O secretário, diz também o JTM, “foi pressionado por vários deputados a fixar um calendário” para que estabeleça um regime jurídico que estabeleça um mercado de habitações para residentes. Na imagem, o matutino faz referência ao “Inverno mais frio dos últimos 28 anos”. Lê-se ainda em outras chamadas de capa: “estudo indica que quase 20% dos homossexuais já pensaram em suicídio” e “China acaba este ano com campos de reeducação através do trabalho”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily diz que 2012 foi um “ano recorde para a venda de habitações”. Dados oficiais divulgados ontem referem um recorde de receitas ainda sem estarem apurados os valores das vendas de Dezembro. Entre Janeiro e Novembro, os valores das transacções no mercado imobiliário atingiram os 95,4 mil milhões de patacas. O económico coloca também em destaque o adiamento do julgamento do caso La Scala, devido “a doença de Joseph Lau”.

 

A manchete do Macau Daily Times coloca em foco o plano do Governo “de inspecção obrigatória de edifícios antigos”. Na Assembleia Legislativa, o secretário para os Transportes e Obras Públicas também “negou que a segurança dos edifícios esteja a ser afectada pelas construções nas vizinhanças”. Ainda na primeira, o Times dá espaço aos incêndios na Austrália, sublinhando que as “autoridades procuram vítimas”.

 

No Macau Post Daily o grande destaque vai para “a ausência” do empresário Joseph Lau que leva ao “adiamento do início do julgamento” do caso La Scala - o julgamento, que envolve oito arguidos acusados de subornar o antigo secretário Ao Man Long, foi adiado pela segunda vez. O diário escreve igualmente na primeira que três homens foram detidos pela Polícia Judiciária, por suspeita de roubo de um carro.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No South China Morning Post, a manchete refere que os “campos de trabalho” na China “vão acabar”. O responsável da Segurança revelou que o sistema da reeducação pelo trabalho (laojiao) termina ao fim de 50 anos. A fotografia publicada pelo matutino capta a chegada à capital da Coreia do Norte, Pyongyang, do homem forte da Google, Eric Schmidt. Em foco na primeira, ainda a “possível transformação de uma escola em apartamentos que está a perturbar professores”.

 

O China Daily diz que “incêndio em orfanato” levanta questões. Depois do incêndio, na Província de Henan, que matou sete pessoas, o jornal diz que há vozes que pedem uma “maior intervenção do Estado”. Noutro destaque lê-se “pedido de desculpas por atraso em relatório sobre poluição”. As autoridades de Changzhi pedem desculpas pelo atraso de cinco dias na divulgação de relatório sobre um derramamento químico que ameaça fontes de abastecimento de água potável de centenas de milhares de pessoas.

 

No Standard a manchete também destaca a decisão de Pequim de “acabar com os campos de trabalho forçado”. Noutra chamada é feita referência ao julgamento do caso La Scala em Macau, com o jornal a escrever que “atestado médico do magnata Joseph Lau” conduziu ao adiamento do julgamento.