Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

LAG: Lau Si Io admite atrasos na meta da habitação pública
Segunda, 03/12/2012

O secretário para os Transportes e Obras Públicas admitiu hoje, no hemiciclo, que há atrasos em quatro projectos de habitação pública e que estes não devem estar concluídos até ao final do ano, como estava previsto. Atrasos que comprometem assim a meta avançada pelo Governo no sentido de oferecer 19 mil habitações públicas até ao final de 2012.

 

Ainda assim, o secretário disse estar confiante que as nove mil fracções que estão a ser construídas em Seac Pai Van estarão prontas até ao final do ano. "Estou confiante que serão concluídas dentro do prazo, ou seja, até 31 de Dezembro do corrente ano", disse, em resposta às várias críticas dos deputados sobre as políticas para a habitação pública.

 

Apesar de reconhecer que a construção ficará finalizada em tempo recorde, Lau Si Io disse que a qualidade está assegurada. "Em Maio de 2011, é que nós adjudicámos ao empreiteiro a respectiva construção, com cerca de 1800 frações autónomas. Outras 800 só começaram em Julho do ano passado, ou seja, em média, nós só utilizámos 18 meses para a respectiva construção. Discutimos - eu e os meus colegas - sobre a introdução destas novas instalações. Os meus colegas também questionaram: ‘só temos 18 meses, não vale a pena, temos de avançar já com as obras, caso contrário temos então de ir todos à guilhotina’.  Por isso, chegámos à conclusão que não basta construir apartamentos. Temos de construir apartamentos com qualidade".

 

Já durante o discurso, Lau Si Io tinha insistido no lema de “terras de Macau para os residentes”, sublinhando que mais de 8 mil apartamentos de habitação pública poderiam ser atribuídas ainda este ano. “Até ao fim do ano, há condições para atribuir 5083 fracções. Este número pode satisfazer a lista de espera de habitação social, do projecto de 19 mil habitações públicas, excedendo em 3433 fracções para oferta, podendo este remanescente ser atribuído aos agregados familiares da lista de espera para habitação social do ano de 2009.  Relativamente à habitação económica, (...) foram tratados 9244 agregados familiares da lista de espera, dos quais 5572 compraram a sua fracção, e 3480 agregados familiares ainda não escolherem a fracção. Assim, no fim deste ano poder-se-á oferecer 3551 fracções”.

 

Quanto aos novos projectos de habitação pública, o responsável da tutela garante que serão finalizados até 2015. Com estas obras, na Taipa e na zona norte da cidade, o Executivo vai oferecer mais cerca de 4 mil apartamentos.

 

O secretário anunciou ainda que vai encomendar um estudo para perceber melhor a realidade local na área da habitação. “Em 2013, iremos incumbir a uma instituição de estudo e investigação para realizar investigação fundamental e proceder consulta pública com base no resultado da investigação, no sentido de saber o desejo e a preocupação dos diferentes interessados da sociedade sobre ‘as terras de Macau para os seus residentes’”.