Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 27/11/2012

Em destaque nos jornais de Macau está a deslocação do secretário para a Segurança à Assembleia Legislativa. No primeiro dia de debate sobre as Linhas de Acção Governativa para a área da Segurança, Cheong Kuok Va falou da prevenção da criminalidade, de fronteiras e de uma base de dados de ADN. Já os matutinos de Hong Kong fazem as primeiras páginas com temas diversos, que incluem a possibilidade de C.Y. Leung enfrentar uma moção de censura.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio dedica grande parte da primeira página à deslocação do secretário Cheong Kuok Va à Assembleia Legislativa para o primeiro dia de debate sobre as Linhas de Acção Governativa para a área da Segurança. O jornal realça o anúncio de que o Executivo vai iniciar estudos para legislar a criação de uma base de dados de ADN. O jornal foca também a ideia de Cheong Kuok Va de instalar mais passagens automáticas nas fronteiras, durante o próximo ano, para reduzir o tempo de espera dos residentes para a entrada no território. Na primeira deste diário, ainda a garantia do secretário de que o sistema de videovigilância tem em conta, e ao mesmo tempo, a privacidade e a segurança pública.

 

O Ou Mun titula que o Governo de Zhuhai irá realizar mais um leilão de quatro terrenos na Ilha da Montanha, com uma área total de 120 mil metros quadrados. O matutino sublinha que as parcelas “não têm ainda um destinatário definido”. Cheong Kuok Va aparece igualmente na primeira do Ou Mun, estando em destaque o apelo do secretário para que os pais e familiares estejam atentos ao consumo de drogas pelos filhos dentro da casa. As autoridades vão adoptar quatro medidas para combater os crimes relacionados com estupefacientes.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi diz, nesta manhã informativa, que já está aberto o Centro de Abrigo de Inverno do Instituto de Acção Social, devido às baixas temperaturas registadas nesta manhã, com a mínima a descer aos 11.8 graus. Além disso, a rádio está ainda a virar atenções para as notícias internacionais, contando que dois cães-polícia feriram seis crianças na Alemanha, levando ao internamento de três.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

No Ponto Final volta-se à segurança. “Em defesa da interdição”, é o título principal. Em resposta às críticas de deputados contra a interdição de entrada em Macau de cidadãos de Hong Kong, o secretário disse que “a PSP tem aplicado a lei”. Destaque ainda neste jornal para uma entrevista ao novo presidente da Associação para os Cuidados da SIDA, que deixa uma acusação: “em Macau os seropositivos sofrem com o preconceito, a ignorância e o medo”. A associação, na voz do novo presidente Dennis Cheang, pede uma lei contra a discriminação.

 

“Apostar na tecnologia”, escreve o Hoje Macau. O diário publica uma fotografia do secretário para a Segurança, que apresentou ontem na Assembleia Legislativa as políticas da tutela para o próximo ano. Cheong Kuok Va disse que “o futuro próximo é de modernização e prevenção do combate ao crime”. Para o responsável, é ainda necessário reforçar a formação de efectivos policiais, com especial destaque para aqueles que investigam crimes relacionados com o jogo, sublinha o Hoje.

 

O mesmo tema está no destaque fotográfico do Jornal Tribuna de Macau, lendo-se no título: “deputados querem polícias com melhor formação - Cheong Kuok Va garante que agentes têm boa preparação”. A manchete do JTM diz que “investidores de paraísos fiscais registam boom de lucros em Macau”. De acordo com o matutino, são as empresas de Hong Kong que “continuam a ter os rendimentos mais elevados”. Uma chamada de capa foca ainda a libertação de Pan Nga Koi que acontece “no sábado até ao meio dia”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

No Macau Daily Times, lê-se que o secretário foi “vago em relação à prevenção do crime e à eficácia das novas regras nas fronteiras”. Na primeira do diário lê-se ainda que “seguradora chinesa ataca história sobre a fortuna da família de Wen Jiabao”. Uma das chamadas de capa refere que a “Escola de São Paulo inaugura memorial”.

 

No Macau Post Daily está em grande plano também o secretário da Segurança que “defende proibição de entrada a alguns visitantes”. Destaque ainda neste jornal para a história de um britânico que afirma “ser o primeiro homem a visitar todas as nações do mundo, sem andar de avião”.

 

No Macau Bussiness Daily palavra “realocação” aparece três vezes em título. Em causa estão as novas regras para as salas de jogo, que vão obrigar que cinco salas mudem de localização. Numa chamada de primeira, o económico sublinha ainda que “deputados temem nova onda de crime organizado”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post titula que “Leung pode enfrentar moção de censura” - é “mais uma ameaça para o Chefe do Executivo por causa da fúria sobre as estruturas ilegais encontradas na sua casa”, logo depois de ter sido eleito. O jornal escreve que, apesar dos protestos de Leung, que afirma “não estar a esconder nada” e que as estruturas ilegais “já não existem”, os deputados podem colocar a moção de censura em cima da mesa ainda na próxima semana. O South China publica ainda uma fotografia de centenas de pessoas no Bangladesh, a elevarem uma mangueira de água. Os homens colocaram mãos à obra para combater um fogo numa fábrica em Daca. As chamas, que duram há dois dias, deixaram 112 pessoas sem vida.

 

O China Daily destaca a “árdua tarefa” do Governo chinês de acabar com o contrabando de mercadorias. O diário refere que houve uma subida acentuada tanto na quantidade como no valor de bens embarcados ilegalmente. O aumento atingiu os 20 por cento desde o início do ano até Setembro, envolvendo bens no valor de 22,8 mil milhões de yuan. A fotografia de primeira página mostra uma operação de salvamento na Província de Shandong. Um forte nevoeiro originou uma série de acidentes de viação, que deixaram sete vítimas mortais.

 

A manchete do Standard diz “papá é a palavra”. O matutino realça a proposta de lei que prevê uma licença de paternidade de três dias para os novos pais. Os homens que trabalham vão em breve poder tirar três dias de licença de paternidade, mas com uma redução salarial de 20 por cento.