Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Monteiro satisfeito com resultados conseguidos na Guia
Domingo, 18/11/2012

Tiago Monteiro conseguiu o terceiro lugar na primeira corrida do WTCC e na segunda foi quarto. O português faz um balanço muito positivo de mais uma participação no Grande Prémio de Macau. “Fantástico. Francamente, antes de chegarmos aqui, nem em sonhos pensámos que isto seria possível. Conseguimos o pódio e depois um quarto lugar, em duas corridas complicadas, com muito ataque e muitas confusões.”

 

Em declarações aos jornalistas, o piloto português, que com a corrida de Macau ficou em 9º lugar no Mundial de Turismo do WTCC, destacou ainda “as pequenas evoluções”, feitas desde Xangai, que “foram na direcção certa” e também a vantagem do Circuito da Guia. “O carro adapta-se melhor a este tipo de pistas. Gosto muito desta pista, é daquelas onde um piloto consegue, se tiver confiança, fazer alguma diferença. E, por isso, o conjunto disso tudo fez com que fizemos um saltinho que nos aproximou dos Chevrolets. Foi inesperado, por um lado, mas, por outro, muito procurado e fruto de muito trabalho.”

 

Para a próxima época, o piloto eleva as expectativas, garantindo que vai entrar na corrida pelo título. “O objectivo é em 2013 lutar pelo título. Vai depender muito do trabalho deste Inverno e ainda de quem vai estar ao volante dos Chevrolets que vão ficar, embora não de uma forma oficial. Os Chevrolets vão continuar a ser os carros mais fortes do pelotão para o ano.”

 

Monteiro falou ainda sobre as duas mortes que ensombraram esta 59ª edição do Grande Prémio de Macau. O piloto questiona se vale a pena manter a corrida das motas. “Sou um apaixonado, ando de moto quase todos os dias, mas tenho medo, sobretudo nestas condições, em que se sabe que é [um circuito] demasiado perigoso, todos os anos há pilotos a magoarem-se com gravidade. Agora, é aquela eterna questão: vai-se parar? Sempre se fez isto, sempre foi assim, é verdade, mas valerá a pena? Não sei.”