Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

LAG: Cheques continuam enquanto houver saldo positivo
Terça, 13/11/2012

O plano de comparticipação pecuniária é para continuar a ser aplicado enquanto os cofres do Governo tiverem saldo positivo, disse hoje Chui Sai On. O Chefe do Executivo falava na conferência de imprensa que se seguiu à apresentação do relatório das Linhas de Acção Governativa para 2013, a oportunidade anual para os jornalistas colocarem questões ao líder do Governo.

 

A conferência de imprensa serviu para abordar assuntos tão diferentes como o sector do jogo e os planos para a praça do Lago Sai Van. Mas, entre os temas dominantes, esteve a qualidade de vida e o que o Governo faz para satisfazer a população.

 

Chui Sai On reconhece que é preciso estudar as medidas provisórias de apoio social que podem passar a definitivas, mas trata-se de um trabalho para fazer com tempo. Por agora, deixa a certeza de que, “em relação ao plano de comparticipação pecuniária, sempre que tenha saldo positivo, o Governo partilha com a população”.

 

Os cheques são uma forma de partilha que vem do tempo de Edmund Ho e que continua a merecer críticas de alguns quadrantes, que entendem que medidas deste género são populistas. Chui Sai On tem outro entendimento sobre a questão: “As Linhas de Acção Governativa não são um instrumento para agradar à população apenas com o conteúdo de distribuição de dinheiro”.

 

O Chefe do Executivo está atento às sondagens e sabe que a população aplaude a distribuição de dinheiro, o que o leva a afirmar que “se a população acha que é uma atitude responsável do Governo partilhar os resultados, então podemos continuar”.

 

Já no que toca a mudanças, a habitação continua a ser um problema e Chui Sai On reconhece a sobrevalorização do mercado, admitindo ainda que as medidas anunciadas recentemente por Lau Si Io podem não chegar, pelo que não são definitivas. No entanto, o líder do Governo não respondeu directamente se vai haver alterações na lei do arrendamento.

 

A inflação também é uma dor de cabeça para residentes e Governo, que promete continuar a trabalhar para que o custo de vida seja suportável. Mas o Chefe do Executivo lança um repto ao patronato: “Gostaria de fazer aqui um apelo para que os empresários elevem também os rendimentos dos seus trabalhadores”.

 

Chui Sai On quer aumentos dos salários no sector privado, mas ficou sem se saber se tem a mesma leitura em relação às remunerações dos funcionários públicos – não houve oportunidade de colocar pergunta, apesar dos dez minutos extra que a conferência de imprensa, planeada para meia hora, acabou por ter.