Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 08/11/2012

A reeleição de Barack Obama é um dos temas que marcam a imprensa de Macau desta quinta-feira. Destaque ainda, na actualidade local, para a proposta de alteração à lei de contratação de trabalhadores não residentes, aprovada ontem na generalidade.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

A reeleição de Barack Obama marca a primeira página do jornal Ou Mun. Escreve o diário que o presidente dos Estados Unidos “não esqueceu a necessidade de criar mais empregos, de lançar medidas que ofereçam oportunidades à classe média e de concretizar o sonho americano”. Numa primeira página totalmente dedicada às presidenciais dos EUA, o Ou Mun escreve ainda que o presidente chinês, Hu Jintao, e o primeiro-ministro, Wen Jiabao, enviaram uma mensagem conjunta de felicitações a Barack Obama e apelaram à cooperação contínua entre os dois países.

 

Já no jornal Va Kio, é a actualidade local que marca a primeira página. Destaque para os deputados que lamentam as “poucas alterações” à lei de contratação de trabalhadores não residentes. Os membros do hemiciclo consideram que as mudanças aprovadas ontem na generalidade não são suficientes para responder às necessidades sociais. Ainda sobre este tema, o Va Kio escreve que o chamado regime de impedimento de seis meses “concede aos trabalhadores não residentes maior flexibilidade para mudar de emprego”.

 

Ainda na primeira página do Va Kio desta quinta-feira, as reivindicações do Conselho Consultivo de Serviços Comunitários da Zona Central, que pede às autoridades a introdução de cartões de débito com chip, para evitar falsificações.

 

O Va Kio conta também que o Chefe do Executivo garante que a Comissão de Avaliação das Remunerações dos Trabalhadores da Função Pública vai rever regularmente os salários e que vai apresentar um relatório ao Governo. O ajustamento das remunerações dos funcionários públicos, acrescenta o jornal, vai ser sistematizado no futuro.

 

Canal Chinês da Rádio Macau

 

Esta madrugada, por volta das três horas da manhã, ocorreu um acidente marítimo, cerca de 100 milhas náuticas a sudeste de Macau. É a notícia que está a marcar a actualidade informativa desta manhã no Canal Chinês da Rádio Macau. A Ou Mun Tin Toi explica que uma embarcação de pesca de Macau chocou com um navio de mercadorias, de origem desconhecida.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“É preciso esperar mais”, lê-se na manchete do Ponto Final. É o que diz Rita Santos sobre o novo cônsul-geral de Portugal, Vítor Sereno, focando o seu comentário na diplomacia económica. O diário escreve ainda que, no balanço à prestação do cônsul Manuel Cansado de Carvalho, outras personalidades “criticam a falta de proximidade à comunidade macaense” ou o “‘tratamento desigual’ no atendimento do consulado”. Mas, ressalva o jornal, “há também elogios à ‘excelente colaboração” com a Escola Portuguesa e ao ‘grande impulso cultural’”.

 

O outro grande tema de capa do Ponto Final é o Congresso Nacional do PCC, que arrancou hoje em Pequim, onde está a enviada especial do jornal, Sónia Nunes. Com o título “Em nome da reforma”, o diário explica que “combate à corrupção, distribuição de riqueza e justiça social são palavras-chave de um regime de partido único que promete mudar muita coisa, focando ‘a reforma e a abertura nas pessoas’”.

 

Este é também o tema da manchete do Hoje Macau: “Partida, largada, fugida.” Numa edição que conta com artigos da correspondente do diário em Pequim, Maria João Belchior, o jornal fala numa “expectativa elevada” em relação ao congresso que decorre até dia 14. “[...] Os 2.270 delegados terão de, entre variadas tarefas, substituir a actual presidência de Hu Jintao por uma nova geração de políticos chineses liderados por Xi Jinping”, escreve o jornal, acrescentando que “a esperada eleição do ainda vice-presidente como novo secretário-geral do PCC ‘deve ser encarada como uma reforma para ficar longe da estagnação’ e, por isso, é vista como crucial para o futuro do país”.

 

O Hoje Macau alude, ainda, às eleições nos Estados Unidos: “Obama por mais quatro anos.” Já na actualidade local, destaque para o mercado nocturno que vai nascer em Sai Van e está a levantar “uma onda de protesto.”

 

As eleições americanas são o grande tema da primeira página do Jornal Tribuna de Macau, que tem nos Estados Unidos a sua enviada especial, Raquel Carvalho. O jornal fala em “mais quatro anos na Casa Branca”, depois de afirmar que “acompanhou ‘in loco’ as duas vitórias de Obama”. O JTM escreve que o presidente “nem precisou da Florida para ganhar”, as “eleições mobilizaram macaenses na Califórnia”, Sheldon Adelson passou uma “noite sombria” e houve China “no discurso dos candidatos”.

 

Noutras chamadas de primeira página da Tribuna desta quinta-feira, pode ler-se que “deputados querem revisão geral da lei sobre contratação de não residentes”, “internet influencia subida do consumo de ice entre os jovens”, “C&C prepara-se para abrir escritório de advocacia em Timor-Leste” e “corrupção e desigualdades lideram preocupações na China”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Deputados dão luz verde às alterações à lei de contração de não residentes”, escreve o Macau Post Daily em manchete. O jornal destaca também na edição de hoje os “resultados mistos” das eleições nos Estados Unidos, com referência às presidenciais, mas também aos referendos realizados nalguns estados americanos.

 

Noutros títulos do Macau Post Daily, destaque para os “oito em cada dez cidadãos do Interior da China” que “‘querem reforma política’” e para a visita de Obama, este mês, ao Myanmar.

 

Do presidente americano fala também hoje o Macau Daily Times: “Obama reeleito apesar da economia tremida.” Destaque ainda para a política chinesa e o legado de Hu Jintao: “Um país forte, mas constrangido.”

 

Na actualidade local, o Macau Daily Times destaca as alterações à lei de contratação de não residentes, dizendo que foram “aprovadas mas criticadas”. Nota ainda para os lucros do terceiro trimestre da Melco, que, de acordo com o jornal, caíram seis por cento para 226,4 milhões de dólares americanos”.

 

O Business Daily escreve, em manchete, que no horizonte há margem para uma maior flexibilização na lei de importação de trabalhadores. Outro grande tema em destaque é o Congresso Nacional do PCC, que arrancou hoje, em Pequim: “Xi Jinping prepara-se para reinar na China.”

 

Noutros títulos do diário económico, referência também à Melco – “receitas do terceiro trimestre caem mas Novembro arranca com força” – e às presidenciais americanas – “Barack Obama derrota Romney para vencer reeleição.”

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No South China Morning Post, destaque hoje para o presidente dos Estados Unidos: “Obama reeleito parte para ofensiva diplomática asiática.” Uma referência à cimeira da Ásia Oriental, que se realiza no próximo dia 18 no Camboja, e onde o presidente americano vai participar, antes de visitar o Myanmar.

 

A educação divide as atenções desta quinta-feira no South China Morning Post: “Aumento da taxa pós-subsídio pode arrancar em breve, avisa a Fundação das Escolas Inglesas.” As consequências de se fasear a subvenção do Governo, no valor de 284 milhões de dólares de Hong Kong, pode fazer sentir-se já no próximo ano lectivo, alerta o presidente da fundação.

 

Destaque ainda na capa do jornal para o 18º Congresso Nacional do Partido Comunista Chinês que arrancou hoje: “Teoria de Hu vive na constituição revista.”

 

No China Daily, é o Congresso do PCC que dita a manchete: “Combate à corrupção é ‘prioridade’”, escreve o diário, aludindo às palavras do porta-voz do congresso. O jornal acrescenta que, de acordo com Cai Mingzhao, “o partido demonstrou a sua determinação na batalha contra a corrupção”.

 

O jornal oficial chinês destaca também hoje as eleições americanas: “Laços com os Estados Unidos em foco à medida que líderes mundiais enviam felicitações” a Obama.

 

O China Daily publica também hoje os resultados de um inquérito, sob o título “Terra de oportunidades que vão ser boas para o negócio”.  O diário escreve que os homens de negócio avaliam a próxima década em vésperas de uma nova era.

 

As eleições americanas marcam também a edição de hoje do Standard: “O melhor ainda está por vir.” O diário destaca a quebra das acções, na bolsa americana, e a festa dos democratas americanos em Hong Kong.