Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

ATFPM insiste no português e na Lei Sindical
Segunda, 29/10/2012

O Chefe do Executivo garante apoio à língua portuguesa. Num encontro hoje com a Associação dos Trabalhadores da Função Pública (ATFPM), Chui Sai On mostrou abertura à promoção do português nas escolas privadas chinesas.

 

A promessa foi feita depois do presidente da ATFPM ter chamado a atenção do líder do Governo para 42º artigo da Lei Básica, que, em traços gerais, determina a protecção dos interesses dos residentes de língua portuguesa. "O Chefe do Executivo está muito a par do artigo 42 e pensa que a língua portuguesa tem de ser divulgada com mais força, mas nas formas que ele pensa que seriam melhores. Nós sugerimos a divulgação da língua portuguesa nas escolas privadas e a Rita Santos falou em obrigatoriedade, mas ele achou que é um bocado difícil tornar o ensino do português obrigatório, falando antes de incentivos e aliciamento (...) são algumas saídas", disse Pereira Coutinho.

 

O presidente da ATFPM disse ainda que voltou a insistir na criação de uma Lei Sindical. O deputado pediu o apoio do Chefe do Executivo para passar a proposta na Assembleia Legislativa. "Vou já apresentar o projecto este ano, por isso, é o ponto essencial [das sugestões] garantir o apoio dos sete deputados nomeados pelo Chefe do Executivo. Ora, se contabilizarmos os oito votos que conseguimos há dois anos, mais estes sete já seriam 15 e depois so teríamos que fazer mais um esforço para garantir mais um e teríamos a lei aprovada cá em Macau. Agora, depende sempre da coragem do Governo e do Chefe do Executivo para o apoio a essa proposta, que, de facto, faz falta. Hoje em dia, os trabalhadores, quer do sector público, quer do sector privado, são despedidos sem justa causa”, apontou o deputado.

 

A ATFPM sugeriu ainda aumentos dos valores dos cheques de comparticipação pecuniária, de 10 mil para os residentes permanentes e de 7 mil para os residentes não permanentes. Entre outros assuntos - foram dadas 20 sugestões a Chui Sai On - a associação pediu ainda uma revisão em alta de todos os subsídios e actualizações salariais para os trabalhadores da função pública assim como para os magistrados.