Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 26/10/2012

A extensão por mais duas horas do horário da fronteira do COTAI e os resultados da Galaxy e Wynn são os temas que dividem as atenções na imprensa local. Em Hong Kong, em foco estão a morte de um trabalhador num acidente de construção da ponte Hong Kong – Macau – Zhuhai e ainda a disputa por causa do projecto de construção de uma nova praia.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio destaca o acordo para a extensão do horário de funcionamento da fronteira do posto transfronteiriço que liga Macau à Ilha da Montanha. Uma decisão tomada durante a 4ª Reunião do Grupo Especializado para a Cooperação entre Zhuhai e Macau. Na primeira, está novamente o Sin Fong Garden, a propósito do Instituto de Acção Social já ter recebido, até ao presente momento, 72 pedidos de subsídio. A ajuda aos moradores deve chegar já no próximo mês. O Va Kio realça também a promessa do Chefe do Executivo de “intensificação” da regulamentação sobre a segurança dos edifícios.

 

O Ou Mun realça que, de Janeiro a Setembro, foram detectados 161 casos suspeitos de declaração falsa das relações de trabalho por parte de empregadores. As contribuições pagas indevidamente vão ser canceladas e reembolsadas. O matutino divulga ainda que começa amanhã a Semana de Aprendizagem Contínua do ano de 2012. A iniciativa decorre até 1 de Novembro, na Praça da Amizade.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi diz, nesta manhã informativa, que as autoridades estão ainda a estudar os pedidos de subsídios das casas geminadas do Sin Fong Garden. A Rádio está também a noticiar que o Ministério Público concluiu as investigações de um caso de violação de uma jovem de 23 anos e de, pelo menos, quatro menores.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

A manchete do Ponto Final diz “cadáveres no Ministério Público” – Jason Chao vai apresentar queixa ao organismo contra os organizadores da exposição The Human Bodies. No destaque fotográfico vê-se José Chu e o título é “polémica salarial”. Duas associações laborais negam terem aceitado o aumento salarial de 8,8 por cento, que Pereira Coutinho anuncioi como sendo consensual. A Comissão de Avaliação das Remunerações dos Trabalhadores da Função Pública diz que nem se discutiram valores.

 

“Manhão a deputado” é o título princial do Hoje Macau. O presidente da APOMAC assume candidatura, pela via indirecta. Francisco Manhão pretende ver melhorias nas áreas sicuaus e desportivas. Na primeira está ainda outro dos dirigentes da APOMAC, Jorge Fão, que fez queixa ao Comissariado contra a Corrupção por causa das eleições no Clube Náutico. Ainda numa chamada de capa: “funcionários apelidam José Chu de ditador”.

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve na notícia principal que “estudo financeiro deixa pendurado novo Plano Director do Aeroporto”. O diário diz ainda que o “novo hangar para jactos já foi incluído no projecto”. No destaque fotográfico os técnicos da Administração Pública, que “querem novo modelo de contratação”. A pretensão foi incluída na lista de sugestões para as Linhas de Acção Governativa. Em chamada de primeira página lê-se ainda “Wynn: mão-de-obra será desafio no COTAI”.

 

O Clarim refere na manchete que “Pequim receia ‘poder’ dos cristãos” – a afirmação é do comentador de assuntos religiosos, Pedro Vaz Patto. Outro título diz “construção só em terreno da Diocese”, sobre o novo campus da Universidade de São José e do Colégio de São José na Ilha Verde. Em destaque na primeira está também o ano de Portugal no Brasil.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

A manchete do Macau Daily Times é feita com o jogo: “mercado de massas e James Packer dominam”. O diário destaca os resultados do terceiro trimestre, divulgados ontem pela Galaxy Entertainment e pela Wynn, e dá ainda conta que, depois de Manila, o multimilionário James Packers planeia construir um casino de seis estrelas no porto de Sidney. No destaque fotográfico está a Ilha da Montanha, com o título: “definida conexão perfeita entre Macau e a Ilha da Montanha”, sobretudo, em termos de impostos e de admissão de empresas nesta nova zona de desenvolvimento.

 

O Business Daily “escreve mercado de massas ganha enquanto VIP perde mesas”. A propósito também dos resultados das operadoras de jogo. O jornal refere que com “os grandes apostadores chineses a ficarem longe dos casinos” no terceiro trimestre, foi o mercado de massas que deu mais resultados, permitindo à Galaxy Entertainment ter ganhos de 46 por cento face ao mesmo período de 2011. Já a Wynn viu os lucros baixarem 3,1 por cento.

 

O Macau Post diz, na notícia principal, que “Macau e Zhuhai chegam a acordo na extensão por mais duas horas do horário da fronteira do COTAI”. O prolongamento aplica-se tanto a pessoas como a mercadorias. A fronteira ficará aberta das 8 às 22 horas.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

A manchete do South China Morning diz que “Leung irrita activistas ao recuar no projecto da praia”. O jornal escreve que o Chefe do Executivo “passa por cima” das autoridades ambientais e apoia a criação de uma praia em Lung Mei - um projecto contra o qual ambientalistas lutam há décadas. Noutra notícia de primeira página, o matutino realça que o Governo vai adiar a votação da pensão de velhice nos 2.200 dólares de Hong Kong. O Executivo suspende a votação, depois dos pan-democratas terem ameaçado “forçar o seu adiamento”.

 

Já o China Daily faz o tema principal com a reforma na cúpula do exército chinês. O Exército de Libertação Popular anunciou as novas nomeações para os quatros principais departamentos. Analistas dizem que a mudança “reflecte a determinação para continuar no caminho da modernização”.

 

O Standard escreve “queda mortal”, a propósito da morte de um trabalhador na queda de uma plataforma, num dos locais de construção da ponte Hong Kong – Macau – Zhuhai. Além da vítima mortal, outros 14 trabalhadores ficaram feridos – três deles com gravidade. O Governo diz que os trabalhadores estavam a descansar na hora do acidente, mas um activista garante que estavam a trabalhar. O Executivo assegura também que o acidente não está relacionado com atrasos na construção da ponte, que está projectada para 2016.