Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Crédito à habitação subiu em Agosto
Segunda, 22/10/2012

O crédito à habitação aumentou mais de 16 por cento em Agosto, face ao mês anterior. Em sentido inverso, os bancos de Macau aprovaram menos empréstimos comerciais.

 

Numa altura em que o Governo coloca em prática as novas regras para combater a especulação imobiliária, números da Autoridade Monetária, referentes a Agosto, indicam que os bancos de Macau aprovaram novos empréstimos para compra de casa no valor de 4 mil e 400 milhões, o que significa uma subida de 16,6 face ao mês anterior. Deste total, a maioria, 88,3 por cento, foi parar às mãos de residentes.

 

De recordar, no entanto, que o mês anterior tinha sido de contracção. O crédito à habitação em Julho tinha sofrido uma redução de quase 6 por cento em relação a Junho.

 

Voltando aos dados de Agosto, os novos empréstimos para a compra de espaços comerciais registaram, por sua vez, uma queda acentuada. A descida foi de 64,2 por cento, ficando pelos mil e 800 milhões. Destes, 97,2 por cento foram concedidos a residentes.

 

No final de Agosto de 2012, o saldo bruto dos empréstimos hipotecários para habitação atingiu os 88 mil e 600 milhões.

 

Há pouco tempo, o Governo decidiu mudar as regras para o acesso aos empréstimos à habitação. A medida insere-se num pacote que visa a promoção de um desenvolvimento sustentável do mercado imobiliário. Com as novas regras, os empréstimos passam a ter escalões diferentes, dependendo do valor do imóvel.

 

Mas há mais, os residentes e não residentes passam também a ter tectos máximos para o crédito. Quem tem BIR de Macau tem acesso a percentagens maiores do valor do imóvel ou da avaliação do que quem tem estatuto de não residente.