Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Grande Prémio de Macau vai custar 160 milhões
Quarta, 10/10/2012

A 59ª edição do Grande Prémio de Macau foi hoje apresentada, quando falta cerca de um mês para as provas arrancarem. O maior evento desportivo do território conta com a participação de 227 pilotos oriundos de 32 países e regiões, e tem um custo previsto de 160 milhões de patacas.

 

A comissão organizadora, liderada por João Manuel Costa Antunes, prevê arrecadar 37 milhões de receitas directas. Dez milhões chegam da venda de bilhetes, já os patrocinadores contribuem com os restantes 27 milhões. Destes, a Sociedade de Jogos de Macau, na qualidade de patrocionador principal, avança com a maior fatia: 10 milhões de patacas.

 

No total, entre 15 a 18 de novembro, o Circuito da Guia acolhe sete provas. Como habitual, o destaque vai para a  Fórmula 3, que cumpre 30 anos, o WTCC, que volta a ser decidido em Macau e também para as motas, com Michael Rutter a tentar ampliar para oito o número de vitórias no território.

 

Como sempre, o Grande Prémio volta a contar também as chamadas corridas de suporte, entre as quais a Taça GT, com o italiano Edoardo Mortara, vencedor em 2011 e o único a repetir um triunfo na Formula 3, e também com Rodolfo Ávila.

 

Ao circuito da Guia estão de regresso ainda a Taça CTM, para pilotos da Ásia, o Macau Road Sport Challange e a Taça Hotel Fortuna, o Interport entre Macau e Hong Kong.

 

Entre os pilotos, 57 são de macau, incluindo Andre Couto, no WTCC e João Fernandes nas motas. De Portugal, António Félix da Costa vai estar na Fórmula 3, enquanto para as motas chegam Luís Carreira, Nuno Caetano e Fernando Costa.

 

A 59ª edição do Grande Prémio de Macau conta também com alguns pilotos do Japão. Na conferência de imprensa de apresentação da prova, João Manuel Costa Antunes, o presidente da comissão organizadora, questionado sobre se estariam a ser preparadas medidas especiais de segurança para os pilotos e equipas japonesas, face ao clima de tensão entre Pequim e Tóquio devido às Diaoyu, disse que eventuais medidas especiais não fazem sentido.

 

“Macau é uma cidade segura, onde entram diáriamente turistas de todas as nacionalidades, inclusivamente turistas japoneses. Portanto, não vejo razão nenhuma para se tomar alguma medida especial”.

 

O Grande Prémio de Macau realiza-se de 15 a 18 de Novembro. Os dias primeiros dias estão reservados a treinos e qualificações. As corridas acontecem, como sempre, durante sábado e domingo.