Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 09/10/2012

Os jornais de Macau colocam em grande plano a febre de dengue, depois de terem aumentado novamente os casos de pessoas infectadas. E em destaque está também o encontro do Chefe do Executivo com representantes dos Kaifong, que pedem mais dinheiro e casas para os residentes. Em Hong Kong, os matutinos fazem manchetes diferentes, que vão da Educação Nacional às aspirações dos jovens.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Va Kio destaca a promessa de Chui Sai On de criação de um “mecanismo permanente de bem-estar social”. O Chefe do Executivo garante ainda que, devido à subida dos preços dos imóveis, as políticas a longo prazo vão centrar-se no aumento da oferta de terrenos para a construção de habitação pública. O líder do Governo diz também que vai ser acelerada a aprovação dos projectos de construção de casas a preços mais acessíveis. O jornal dá ainda conta, na primeira, da morte de um trabalhador não residente. O homem, da China, perdeu a vida por causa de um esquentador colocado indevidamente na casa de banho. Ainda no Va Kio, o deputado Ho Ion Sang, da Associação dos Moradores, nega ter falado com o Chefe do Executivo sobre a eventual mudança na tutela dos Transportes e Obras Públicas.

 

O Ou Mun diz que dois residentes foram detidos no desmantelamento de um contrabando de computadores portáteis. Informações divulgadas pela Alfândega de Gongbei indicam que foram detidos no total 29 indivíduos e que os equipamentos confiscados estão avaliados em 140 milhões de renminbis. O jornal foca ainda o investimento da CEM de 800 milhões de patacas para a construção de quatro subestações, devendo as obras ficar concluídas em 3 anos. A CEM vai ainda substituir os contadores de electricidade das residências, para evitar a utilização irregular da electricidade.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi está a acompanhar, nesta manhã informativa, os trabalhos de prevenção contra a febre de dengue. A rádio diz que as autoridades locais podem deslocar-se às casas dos residentes para proceder a limpezas e que responsáveis do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais apelam à população para que apoie os trabalhos do Governo de controlo da propagação da febre de dengue.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily diz que os “imóveis comerciais sobem com aridez de casas”. Os valores transaccionados para unidades comerciais atingiram um pico histórico em Agosto. Os negócios, por toda a cidade, atingiram 1,86 mil milhões de patacas, ficando 11,4 por cento acima de Julho - é o valor mais alto desde 1999. Noutro destaque, o diário escreve que a “lei antitabaco é boa para Macau”. Uma pesquisa recente indica que os consumidores estão a comer mais fora e também que os fumadores cedem ao vício com menos frequência. Desde Janeiro, altura em que a lei entrou em vigor, mais de um terço das multas foram passadas a turistas.

 

Na notícia principal, o Macau Daily Times refere que a “África do Sul quer instalar uma delegação comercial em Macau”. Greg Munyai, da embaixada sul-africana em Pequim, afirma que o maior desafio para os investidores de Macau na África do Sul é a “pouca informação”. Na fotografia, estão os leilões de arte na China, com o jornal a sublinhar que os “chineses enfrentam os rivais estrangeiros”.

 

O Macau Post destaca a União Geral das Associações de Moradores. Os Kaifong pedem ao Governo que aumente a comparticipação pecuniária e, além de dinheiro, apelam ainda à imposição de restrições à especulação imobiliária. Alguns representantes dos Kaifong estiveram ontem reunidos com o Chefe do Executivo.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

A manchete do Hoje Macau diz “rédeas nos estrangeiros”. Por causa da inflação, que “bate valores na ordem dos 6,45 por cento”, especialistas defendem políticas restritas a estrangeiros na aquisição de habitação. O título da fotografia da Rua da Felicidade é “reavivar zona histórica”. Um grupo de cidadãos vai promover, em Novembro, visitas guiadas a uma das zonas “mais carismáticas” da cidade.

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve, em letras grandes, que os idosos “já representam 45 por cento” dos pedidos ao Banco Alimentar. Cerca de 1500 pessoas, com mais de 65 anos, são beneficiadas pelo centro gerido pela Caritas. Em destaque fotográfico, o matutino divulga uma conferência na Universidade de Macau, motivada pelos 500 anos de Portugal no Sudeste Asiático. A iniciativa decorre de 30 de Outubro a 1 de Novembro.

 

A primeira página do Ponto Final tem hoje duas manchetes. Do lado direito lê-se “mais Portugal na MIF”. A Feira Internacional de Macau “será maior do que no ano passado” – uma entrevista ao presidente do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento. A outra manchete diz “febre em alta”, por causa do alastramento da febre de dengue. A fotografia destaca “Macau no tapete vermelho”, a propósito do Festival de Busan.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post escreve, na manchete, que a “Educação Nacional vai ser colocada na gaveta”. O Chefe do Executivo de Hong Kong admite que “a polémica” acerca da introdução da disciplina nas escolas “polarizou” a sociedade e “prejudicou” as escolas. Contudo, C.Y. Leung diz que a proposta “não vai ser desaparecer”. Na coluna, o matutino diz que o banco HSBC despediu “discretamente” banqueiros da área do investimento. Fontes, ouvidas pelo South China Morning Post, avançam que o banco, sediado em Londres, teve como alvo primordial os executivos do escalão intermédio, que trabalhavam em áreas que a instituição já não privilegia para os negócios.

 

O título do Standard é: “queremos ser milionários” mas “não planeamos poupar ou investir muito”. O diário escreve que as novas gerações têm “grandes aspirações”, e ao mesmo tempo, “pouca sabedoria” para as alcançar. É um dos resultados de uma pesquisa a jovens entre os 20 e os 29 anos.

 

O China Daily coloca em destaque a fotografia da cerimónia que assinalou o aniversário do jornal. Na manchete lê-se “15 anos de orgulho por conquistas notáveis”. O Chefe do Executivo, C.Y.Leung, esteve presente na comemoração da edição de Hong Kong do China Daily.