Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Portugueses Orelha Negra actuam no Festival da Lusofonia
Quarta, 03/10/2012

Os portugueses Orelha Negra e a angolana Voga Band são alguns dos nomes escolhidos para o 15º Festival da Lusofonia. Além de tocarem na zona do Carmo, na Taipa, os grupos actuam também em Macau.  

 

Já são conhecidas todas as bandas que vão animar as noites da Lusofonia. De Portugal vêm os Orelha Negra, de Angola a Voga Band, e do Brasil a Banda Zoá com Julinho Martins e Valéria Eva. São Tomé e Príncipe faz-se representar pelos Xinha e Pêpê Lima e a música da Guiné-Bissau é trazida pelos Super Mama Djombo. De Moçambique vêm os Girassol e de Cabo Verde o Princezito. Os Forefront e Dr. Martin trazem os ritmos de Goa Damão e Dio até Macau e de Timor-Leste vêm os 5 do Oriente.

 

São nove grupos musicais que prometem animar a noite de Macau, por duas vezes. Primeiro estão agendados espectáculos no Largo do Senado entre os dias 13 e 16 deste mês. Os concertos, no sábado, começam às 19 horas e entre domingo e terça-feira arrancam às 19.30. Os portugueses Orelha Negra actuam no Senado na terça-feira.

 

Na zona do Carmo, os espectáculos decorrem no fim-de-semana de 19 a 21. Na sexta-feira, são os  Xinha e Pêpê Lima de São Tomé inauguram a noite de música lusófona, seguidos dos guineenses Super Mama Djombo e dos moçambicanos Girassol. No dia seguinte, os portugueses Orelha Negra são os primeiros a actuar. A segunda actuação da noite é da banda brasileira Zoá com Julinho Martins e Valéria Eva enquanto os cabo-verdianos Princezito encerram o serão.

 

No último dia de festa nas Casas Museu, a música começa com  os angolanos Voga Band e depois é a vez de Goa Damão e Diu com os Forefront e Dr. Martin. Fecham os concertos lusófonos no Carmo os “5 do Oriente”  de Timor-Leste.

 

Tal como na edição anterior, complementam as actuações lusófonas várias bandas e grupos de dança da China.

 

A Rádio Macau volta a acompanhar o Festival da Lusofonia com transmissões em directo a  partir da Zona do Carmo.