Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Semana Dourada com “tantos ou mais turistas” do que em 2011
Segunda, 01/10/2012

Macau deverá receber, na semana dourada que hoje começa, tantos – ou até mesmo mais – turistas quantos os do ano passado, prevê João Manuel Costa Antunes. O calendário deste ano ajuda, com os feriados logo a seguir ao fim-de-semana. “Penso que esta semana dourada vai ter um número de visitantes semelhante ou superior ao ano passado”, diz o director dos Serviços de Turismo.

 

De acordo com dados oficiais, em 2011, por esta altura, entraram em Macau mais de 770 mil visitantes, oriundos sobretudo da China Continental. Em média, foram alugados 18.700 quartos de hotel por dia. Este ano, quem trabalha na hotelaria também não vai ter mãos a medir. “A situação hoteleira, conforme tive oportunidade de conversar aqui esta manhã com algumas pessoas aqui presentes, é positiva”, apontou Costa Antunes, à margem da cerimónia oficial de celebração do 63º aniversário da implantação da República Popular da China.

 

As previsões são positivas para a indústria, mas o crescente número de turistas não agrada a todos os residentes, que acham que há visitantes a mais. O responsável pelo Turismo garante que Macau ainda tem espaço. “O número de turistas que Macau recebeu no ano passado não atingiu a capacidade de recepção, calculada por peritos, que se apontava para o ano de 2010”, frisou.

 

Costa Antunes diz ainda que as novas infra-estruturas ligadas ao turismo, bem como os acessos reforçados, fazem com que Macau possa ter mais turistas do que no ano passado, sem que tal seja um problema. O director dos Serviços de Turismo acredita também que o número de visitantes vai continuar a crescer, mesmo quando a cidade estiver transformada num estaleiro, por causa das obras do metro.

 

Lembrando o que aconteceu noutras cidades quando foram construídos sistemas de transporte semelhantes, “ou mesmo Macau, durante vários anos, com a renovação de infra-estruturas de esgotos e de águas”, Costa Antunes falou da necessidade de a cidade ter de ser gerida de “uma forma acautelada”. Os Serviços de Turismo têm estado em diálogo com as autoridades responsáveis pelo projecto, assegura. “Estamos a viver um período de desenvolvimento. Penso que os técnicos apropriados na área do urbanismo e na área de transportes, em colaboração com as entidades da parte social e do turismo, vão ter soluções de gestão diária.”

 

Ainda sobre a capacidade de acolher mais turistas, o responsável recorda que, já a partir do próximo ano, Macau vai ter mais espaço para visitantes, com a Ilha da Montanha a representar uma nova oferta para os turistas, apesar de ser um destino sem jogo.