Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 28/09/2012

A febre de dengue e o seminário realizado em Pequim sobre intercâmbio entre a capital chinesa e Macau está em destaque na imprensa em chinês do território, enquanto que a imprensa em português realça a edição de uma obra inédita de Henrique de Senna Fernandes e, também, a possibilidade de o novo responsável pelo IPOR vir a ser, igualmente, conselheiro cultural.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

No jornal Va Kio, o principal destaque diz respeito ao casos de febre de dengue em Macau. Explica o jornal que os Serviços de Saúde declaram que, neste momento, ainda não há medicamentos especiais para a cura da febre. Os nove casos confirmados no território, acrescenta o jornal, pertencem ao tipo 1, o qual tem uma taxa de mortalidade de 30 por cento.

 

Noutro destaque, o jornal informa que o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais está disposto a dar apoio aos sete vendilhões que operavam junto ao Mercado Vermelho, no sentido de continuarem a sua actividade.

 

Em foco, ainda, o Chefe do Executivo. Chui Sai On recusou comentar a questão de alguns funcionários públicos aposentados, que apresentaram recurso sobre o cancelamento da atribuição do subsídio de residência, porque a questão está ainda em fase de processo judicial.

 

No Ou Mun, o maior destaque vai para o primeiro Seminário para a Promoção do Intercâmbio Económico e Comercial entre Pequim e Macau – Mais de uma centena de empresas de Macau estão representadas na capital chinesa.

 

Ontem, primeiro dia, diz o Ou Mun, foram assinados 16 acordos de cooperação que envolvem 2500 milhões de renminbis.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

O mesmo tema está em foco na manhã informativaa do canal chinês da Rádio Macau, a Ou Mun Tin Toi. Empresas de Macau deslocaram-se ao Seminário de Pequim com a finalidade de conquistar o mercado chinês.

 

Outra notícia na rádio: Governo planea criar mais quatro ou cinco carreiras de autocarros entre a zona norte, os hospitais e Seac Pai Van – referência para declarações do director dos Serviços para os Assuntos do Tráfego, Wong Wan, em Pequim.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Instituto Cultural edita livro inédito de Senna Fernandes”, lê-se na manchete do Jornal Tribuna de Macau (JTM). “Os Dores”, informa o jornal, “vai chegar às mãos dos leitores em Outubro”. Na calha está, ainda, uma reedição de “Amor e Dedinhos de Pé”.

 

No outro grande destaque, a propósito do Dia Nacional da China, o JTM “ouviu imigrantes vindos do Continente”, que “falam da vida de hoje e de ontem”.

 

À semelhança do JTM, o Hoje Macau destaca no título principal “O regresso do mestre” – “Livro inédito de Henrique de Senna Fernandes será publicado em Outubro”.

 

Nesta primeira página, surge em foco, ainda, o filho do falecido ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-il. “Espião norte-americano confessa: Há ordens para matar Kim  Jong-nam”.

 

Esta sexta-feira, a primeira página do Ponto Final divide as atenções por dois temas. No principal, lê-se que “Laborinho admite conselheiro cultural” – “A presidente do Instituto Camões admite que o novo presidente do Instituto Português do Oriente poderá ser também conselheiro cultural, cargo inédito e com contexto político”.

 

Depois, no outro tema, o destaque vai para o “Alerta máximo de Dengue” – “A tentativa de conter o mosquito transmissor na Areia Preta falhou. A nona vítima de febre de dengue mora na Rua Silva Mendes, nas imediações do Jardim de Infância Dom José da Costa Nunes.”

 

O semanário católico “O Clarim” revela hoje na manchete que “Campus da Universidade de São José na Ilha Verde arranca em Novembro”. Ao jornal, o reitor Peter Stilwell avança que, dentro de quinze dias, será assinado o contrato para a construção do campus.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Daily Times tem a primeira página quase inteiramente dominada pela manchete: “Serviços de Turismo de Macau optimistas quanto ao número de visitantes apesar do fraco crescimento” – uma referência para declarações do director dos Serviços de Turismo, João Manuel Costa Antunes.

 

Outro destaque com chamada à primeira página vai para declarações de Audrey Shum. Diz a especialista em propriedade intelectual que “muitas empresas estão preocupadas com a China mas não protegem os seus direitos”.

 

Espaço, ainda, para um título informando que as companhias aéreas de baixo custo asiáticas estão a ultrapassar as da China.

 

A edição de hoje do Macau Business Daily aponta o foco maior aos casinos “alarmados com o muro anti-fumo”. O jornal avança que os Serviços de Saúde querem que sejam construídos, nas salas de jogo, muros a separar as áreas para fumadores das áreas onde é proibido fumar. A medida deve tornar-se efectiva a partir de 1 de Janeiro, quando entrar em vigor a proibição parcial de fumar nos casinos, mas não fazia parte da proposta de lei de prevenção e controlo do tabagismo que foi aprovada no ano passado.

 

Destaque, ainda, para a Central de Incineração da Areia Preta que volta a estar a cargo de um consórcio liderado pela CESL Asia, e também para as previsões de agentes do sector imobiliário: até ao final do ano a venda de casas deve baixar.

 

O Macau Post Daily Independent tem a primeira página totalmente dedicada à febre de dengue: “Governo diz que estão em vigor medidas para combater a epidemia”. O alerta em Macau subiu para o nível 3 – o nível máximo.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca hoje no título principal um novo desenvolvimento relacionado com a polémica em torno da disciplina de educação nacional: “as orientações nacionais devem ser apagadas”, lê-se na manchete. “Painel de peritos aconselha que a proposta curricular deve ser eliminada”.

 

Outra notícia em grande plano na primeira do jornal diz respeito à eminência de falência da cidade de Dongguan – “A cidade do ‘boom’ está a falhar”.

 

O jornal The Standard preenche a primeira página com a notícia de que “já não são necessárias linhas de orientação para a educação nacional”. É a conclusão de um comité criado para aconselha o governo de Hong Kong nesta matéria.

 

A crise diplomática entre a China e o Japão dominam a primeira página do China Daily. O jornal oficial chinês em língua inglesa informa na manchete que “intercâmbios podem beneficiar as relações” – explica o jornal que os canais informais e não-oficiais vão ter um papel na resolução do conflito, de acordo com um conselheiro do governo central.