Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Governo recebeu 900 pedidos para moradias
Quarta, 19/09/2012

O Governo só vai conseguir satisfazer um quinto da procura por uma das 160 moradias colocadas a concurso público, a 21 de Junho. Durante um mês, foram submetidos cerca de 900 pedidos, de acordo com números disponibilizados pela Direcção dos Serviços de Finanças à Rádio Macau.

 

Mas, além de só satisfazer um quinto dos pedidos, o Governo tem ainda reservadas 40 das 160 moradias para funcionários de nível departamental ou superior, ou seja, só 120 chaves podem chegar às mãos dos funcionários com rendimentos mais baixos.

 

Ainda assim, o presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública (ATFPM) esperava mais pedidos. “Esperavámos mais. Não podemos esquecer que ao fim de quase 13 anos de RAEM, não tendo o Governo aberto concursos públicos para atribuições de casas, o número poderia ser ainda mais elevado”. Pereira Coutinho diz ainda que o número de pedidos pode ter atenuado porque os funcionários com contratos individuais de trabalho estavam impossibilitados de concorrer.

 

Agora, é preciso o Executivo fazer mais. Coutinho recorda que havia atractivos no tempo da Administração portuguesa que têm de continuar. “Duas das questões mais importantes que aliciavam as pessoas a continuar na função pública eram as pensões de aposentação e as casas do Estado”, apontou, acrescentando que as pensões de aposentação foram quase todas abolidas - quando o Governo introduziu o regime de previdência em 2008, e que, a par disso, os funcionários públicos têm de lutar com os preços cada vez mais impraticáveis do mercado imobiliário.

 

O presidente da ATFPM promete continuar a pressionar o Executivo a lançar mais concursos para moradias nos próximos tempos. Os Serviços de Finanças esperam divulgar a lista provisória do concurso para as 160 moradias entre o final deste mês e o início de Outubro.