Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Caso La Scala: Julgamento adiado para 7 de Janeiro
Segunda, 17/09/2012

O julgamento dos empresários ligados ao La Scala, marcado para hoje, foi adiado para 7 de Janeiro do próximo ano. A hipótese de adiamento já tinha sido aventada por Jorge Neto Valente, advogado de Steven Lo, um dos arguidos de Hong Kong que responde, neste processo, por corrupção activa.

 

O julgamento foi adiado por indisponibilidade da juíza que preside ao colectivo. Alice Costa está doente e dada a complexidade do processo, não é possível substituir a magistrada judicial. Ao todo, o processo tem mais de 65 volumes, sendo que só o principal é constituído por mais de cinco mil folhas.

 

Apesar da convicção generalizada de que o julgamento ia ser adiado, muitas pessoas deslocaram-se ao Tribunal Judicial de Base, uma vez que não houve uma comunicação prévia. As testemunhas foram todas convocadas, os advogados estavam a postos e a sala cheia de jornalistas, muitos deles de órgão de comunicação social de Hong Kong.

 

Poucos minutos depois da hora prevista para o início da sessão, um funcionário judicial comunicou a indisponibilidade da juíza e divulgou a nova data, que faz com que só em 2013 comece a ser julgado um processo cujos factos dizem respeito a 2006.

 

O processo – o quarto conexo ao de Ao Man Long – junta oito arguidos envolvidos em obras e adjudicações diferentes. É um julgamento muito mediático, atendendo a que envolve dois empresários de Hong Kong, bem conhecidos na região vizinha. Steven Lo e Joseph Lau são acusados de terem subornado o antigo secretário em troca da concessão dos terrenos onde estava, até há bem pouco tempo, a ser construído o empreendimento de luxo La Scala.

 

Além de Steven Lo e Joseph Lau, são também arguidos o empresário Pedro Chiang (já condenado num processo anterior) e Luc Vriens, o director executivo da Waterleau, empresa ligada às estações de tratamento de águas de Macau.