Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Voos Portugal-China: TAP com aviões disponíveis só em 2015
Quarta, 12/09/2012

A TAP Air Portugal não dispõe actualmente de aviões para assegurar as ligações entre Lisboa e a China, garantiu à Rádio Macau fonte da companhia aérea portuguesa. Só vai ter aviões disponíveis para ligar Portugal à China em 2015, assegura.

 

Em resposta por escrito, a porta-voz da TAP Air Portugal refere que “a frota de longo-curso da TAP (aviões A340 e A330) está, presentemente, totalmente alocada”.

 

A mesma fonte acrescenta que “a entrada em operação dos novos aviões de longo curso da TAP – os A350 XWB – está prevista acontecer por volta de 2015”.

 

Recorde-se que o ministro português da Economia e Emprego, que ontem regressou a Portugal, admitiu que já no próximo ano podem arrancar as ligações entre Lisboa e a China. Se isso vir a suceder não será com aviões da TAP.

 

A fonte da transportadora aérea portuguesa recordou, na resposta enviada à Rádio Macau, que “a TAP e a Air China estabeleceram em Outubro 2010 um acordo de cooperação comercial, abrangendo voos operados em code-share entre Portugal e a China (Pequim, Xangai) via cidades seleccionadas na Europa (em Espanha, Alemanha, Itália), proporcionando, a partir de então, as ligações aéreas mais convenientes e directas entre os dois países”.

 

A finalizar, a porta-voz da TAP, refere que a empresa “acompanha permanentemente os fluxos de tráfego e desenvolve estudos de forma sistemática, de modo a que se a oportunidade surgir e havendo meios disponíveis, possa tirar partido da situação”.

 

Fontes do sector contactadas pela Rádio Macau notam que a rota entre Pequim e Xangai e Lisboa poderá demorar entre 12 a 13 horas, já a ligação entre Lisboa e Macau será maior, cerca de 16 horas.

 

Em termos de viabilidade económica, as fontes da Rádio afastam o cenário de Macau, já que será difícil gerar tráfego para suportar os voos, o mesmo não sucede com Pequim e Xangai. “Além dos turistas chineses e homens de negócio, pode contar-se com a comunidade chinesa residente em Portugal, que tem aumentado e que a viajar preferirá sempre Xangai ou Pequim”, argumentam as fontes do sector contactadas pela Rádio Macau.

 

Outra das questões é saber se o voo directo será rentável ou a opção mais correcta será voar da China para uma cidade no centro da Europa e depois para Lisboa.

 

Por último, recorde-se que desde o Verão de 2010 que a TAP tem autorização para explorar três voos: Lisboa-Pequim-Lisboa, Lisboa-Xangai-Lisboa e Porto-Pequim-Porto.